TJSP e Uninove celebram acordo para a concessão de 20 mil bolsas de estudo

Incentivo à conclusão do Ensino Fundamental e Médio.

 

O Tribunal de Justiça de São Paulo e a Associação Educacional Nove de Julho, mantenedora da Universidade Nove de Julho e do Colégio Nove de Julho, formalizaram, nesta terça-feira (29), acordo de cooperação para a concessão de 20 mil bolsas de estudo integrais nos cursos de Educação de Jovens e Adultos (EJA), no Ensino Fundamental – Anos Finais e no Ensino Médio, na modalidade Ensino à Distância (EAD).
O incentivo valerá aos servidores, funcionários e prestadores de serviço do TJSP, seus respectivos cônjuges, ascendentes e descendentes, e às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar encaminhadas pela Justiça paulista, assim como seus ascendentes e descendentes. A EJA é destinada àqueles que não tiveram acesso ou continuidade de estudos nos ensinos fundamental e médio na idade própria (art. 37 da Lei nº 9.394/96), e possibilita sua conclusão na metade do tempo regular, aproveitando-se os estudos anteriores regularmente comprovados pelo interessado.

Para garantir o acesso dos alunos às aulas com conexão estável, a Associação Educacional Nove de Julho disponibilizará para cada bolsista, gratuitamente, um chip de plano de dados de internet com 10 GB. As bolsas serão concedidas aos jovens e adultos indicados pela Presidência do TJSP. 

Para o 2º semestre de 2021, com início das aulas em agosto, serão disponibilizadas, tão somente, vagas do curso EJA – Ensino Médio para maiores de 18 anos que demonstrarem haver concluído, no Estado de São Paulo, o Ensino Fundamental ou as séries já cursadas, para aproveitamento, do Ensino Médio. As matrículas, após as indicações feitas pelo TJSP, estarão abertas de 6 a 30 de julho, no campus Vergueiro da Uninove.

A celebração foi realizada em reunião virtual em que estiveram presentes o presidente do TJSP, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco; a coordenadora da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Comesp), desembargadora Maria de Lourdes Rachid Vaz de Almeida; os juízes assessores da Presidência Rodrigo Nogueira, João Baptista Galhardo Júnior e Fernando Antonio Tasso; o juiz e diretor acadêmico dos cursos de direito da Uninove Rodrigo Capez; os reitores da Uninove Eduardo Storópoli e Maria Cristina Barbosa Storópoli; e a professora Cinthya Duran.

Em nome do tribunal, o presidente Pinheiro Franco agradeceu a oportunidade dada a 20 mil pessoas. “Nós, do TJSP, mantemos diversos convênios com a Uninove destinados a fazer o bem para as pessoas, acolhê-las e ajudá-las a desenvolver atividades que talvez não pudessem sem um olhar voltado ao cidadão. A preocupação social da universidade é extraordinária e podemos traduzir essa preocupação no pleno exercício do dever da cidadania”, disse.

A desembargadora Maria de Lourdes Rachid Vaz de Almeida também agradeceu à associação e destacou o trabalho fundamental da instituição à causa da Comesp. “É um fato histórico, nunca houve um projeto dessa magnitude e eu fico muito agradecida. Espero que essa parceria continue e que nós possamos fazer muitas coisas juntos, sempre voltadas ao interesse das pessoas que estão precisando e querem evoluir e crescer.” 

Encerrando a celebração do acordo de cooperação, o reitor Eduardo Storópoli lembrou que o acordo atende uma importante meta do Plano Nacional de Educação, que é a educação de jovens e adultos, e classificou o termo como uma “parceria de inclusão. “Isso é uma missão muito importante. Vamos fazê-la com empenho e esforço, para que as pessoas possam dar continuidade à sua educação”, destacou. 

 

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo