Tecnologia usa calor emanado por estacionamentos para aquecer apartamentos

Créditos: ULMA Architectural Solutions

Uma nova tecnologia que está passando por testes na Suíça propõe a inovadora ideia de usar o calor por estacionamentos subterrâneos para aquecer apartamentos. A ideia por trás desta nova forma de aquecimento se baseou no fato de que o país é, atualmente, o maior consumidor, em toda a Europa, de combustíveis fósseis destinados ao aquecimento de casas.

Neste país, mais de 78% do aquecimento nos prédios hoje é fornecido por caldeiras movidas a óleo, gás ou madeira. Os 22% restantes são fornecidos por radiadores elétricos, bombas de calor elétricas ou redes de aquecimento urbano.

Quase 60% do aquecimento na Suíça é gerado a partir de combustíveis fósseis, gerando impactos severos no meio ambiente. Por outro lado, esta nova tecnologia oferece uma chance de fazer com que o uso de combustíveis fósseis com esse destino possa diminuir de forma considerável durante os próximos anos, conforme a nova tecnologia é melhor desenvolvida.

Muitas novas formas de aquecimento têm suas pesquisas sendo incentivadas pelo governo do país, com o objetivo de trazer de maneira mais eficiente e rápida avanços relacionados ao combate do uso de combustíveis fósseis para esse propósito.

Um exemplo disto é que a maioria dos proprietários de edifícios está instalando sistemas híbridos para capturar diferentes tipos de energia, sendo esta uma opção para escapar do uso dos combustíveis fósseis.

Esta nova tecnologia que utiliza o calor emanado de estacionamentos subterrâneos foi criada pela companhia Enerdrape e funciona da seguinte forma: a tecnologia reaproveita o calor dos estacionamentos subterrâneos, redirecionando-a para que possa ser utilizada para aquecer os apartamentos que estão encontrados acima desses locais.

A tecnologia faz uso de painéis geotérmicos que precisam ser instalados nas estruturas subterrâneas. Eles têm o objetivo de recuperar o calor que pode ser encontrado no solo. Esses painéis medem cerca de 1,3 metros e são feitos de um metal bastante fino.

Margaux Peltier, CEO da empresa Enerdrape, explicou um pouco sobre o processo de funcionamento da nova tecnologia: “A temperatura do solo não varia depois de alguns metros abaixo do solo. Isso significa que a energia gerada por nossos painéis não depende das condições climáticas ou da época do ano. ”

Além de todo o seu propósito sustentável, o design elegante dos painéis ainda dá um novo visual aos estacionamentos subterrâneos, que costumam ser escuros e sem vida. Estes painéis podem ser instalados tanto em estacionamentos subterrâneos quanto em túneis e estações de metrô.