Secretário destaca papel da internet brasileira durante pandemia

A internet foi um fator de estabilidade para o Brasil em 2020, afirmou o secretário de Empreendedorismo e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Paulo Alvim, nesta quarta-feira (16), durante evento virtual promovido pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). “Desde o início da pandemia da Covid-19, a internet foi um fator de garantia para a continuidade de funções essenciais para o funcionamento do país”, ressaltou.

De acordo com o secretário, em fevereiro deste ano o MCTI já começou a traçar  uma estratégia para garantir a conectividade em todo o Brasil. “A manutenção, a estabilidade e a capacidade de resiliência da internet brasileira conseguiram manter as pessoas em trabalho remoto, permitiu o isolamento social e também a continuidade de pesquisas científicas.”

Paulo Alvim destacou que no decorrer de 2020 a internet no Brasil demonstrou uma capacidade evolutiva, com aumento no número de acessos à rede e destaque para a expansão do comércio eletrônico. Além disso, afirmou que a Covid-19 acelerou os segmentos de telemedicina e de educação híbrida.

Desafios futuros

Em relação a políticas públicas do governo federal para o setor, o secretário disse que o desafio próximo é ampliar a conectividade nas regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste, por meio do programa Conecta Brasil. Segundo ele, a partir de 2021 o tráfego de dados do país também terá um incremento significativo por meio do cabo submarino que vai conectar América Latina e Europa, como parte do projeto Bella, com participação da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), organização social vinculada ao MCTI.

Paulo Alvim frisou que o próximo ano apresentará novas demandas e novas necessidades de investimentos para fortalecer as redes e a conectividade.  “Nesse processo, o papel do NIC.br é fundamental para dar robustez aos nossos pontos de acesso e às nossas redes, que têm funcionado de forma exemplar.”

O painel “Análise da Internet em 2020″, contou com a participação de debatedores com atuação nos diversos setores da internet brasileira. Os painelistas abordaram os desafios enfrentados e superados, tanto na infraestrutura como no uso da Internet, bem como outros aspectos importantes durante o ano.

O evento teve como mediador Antonio Marcos Moreiras, do Ceptro.br/NIC.br, e contou com a participação dos debatedores Dorian Lacerda, do Internet Festival e Serviços, Marcelo Bechara, do Grupo Globo, Eduardo Grizendi, da Rede Nacional de Proteção de Dados (RNP/MCTI), e José Bicalho, da Conexis Brasil Digital.



Fonte: MCTI