Sanções dos EUA e acordo nuclear: especialistas discutem sobre desafios ante Ebrahim Raisi

Raisi, de 60 anos, terá também de decidir como agir ante as conversações sobre o acordo nuclear abandonado unilateralmente pelos EUA em 2018. Porém, os desafios econômicos colocados pelas sanções norte-americanas à nação persa vão ser o principal desafio para o novo presidente, de acordo com Clement Therme, pesquisador do Instituto da Universidade Europeia, na Itália.

“Seu principal objetivo será melhorar a situação econômica [nacional], reforçando as relações econômicas da República Islâmica com os países vizinhos […] O objetivo seria a construção de um modelo de negócios que protegesse o crescimento econômico do Irã das políticas e decisões norte-americanas”, explicou Therme, citado pelo The Times of Israel.

Therme também acredita que a prioridade principal de Raisi será “remover as sanções dos EUA”, de modo a que Teerã possa investir no comércio com seus vizinhos e outros Estados não-ocidentais, tais como a China e a Rússia.

Já na questão do Plano de Ação Global Conjunta (JCPOA, na sigla em inglês), o novo presidente iraniano já teria declarado que apenas negociará com os EUA e não com os restantes membros do acordo, informa a mídia israelense.

Seu governo está comprometido em apoiar conversações que “garantam os interesses nacionais”, declarou Ebrahim Raisi.

Sabendo isso, e segundo o economista reformista Saeed Laylaz, o futuro do acordo nuclear, sob presidência de Raisi, será um dos principais fatores que vai ditar o destino da economia iraniana.

Fonte: Sputnik News