PCR apresenta projeto de mosquitos estéreis para Agência Internacional de Energia atômica

O projeto inovador de mosquitos estéreis, testado pela Prefeitura do Recife desde 2019, foi apresentada na manhã desta quinta-feira (15) para a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), que é a desenvolvedora do método. Durante o evento de demonstração, que aconteceu na Unidade de Saúde da Família Bernard Van Leer, em Brasília Teimosa, e teve a participação do Ministério da Saúde, Empresa Moscamed responsável pelas liberações dos insetos no ambiente por terra e por drone. A soltura dos machos estéreis tem o objetivo de reduzir a reprodução e, consequentemente, controlar a população do transmissor da dengue, chikungunya e zika.

Reconhecida por sua eficiência na erradicação e controle de diversos insetos e pragas ao redor do mundo, a Técnica do Inseto Estéril (TIE) é pioneira para controle do Aedes Aegypti. O método desenvolvido pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) consiste em tornar o mosquito macho estéril, em laboratório, por meio da esterilização por radiação ionizante, para depois soltá-lo no meio ambiente, de forma que ele copule com as fêmeas sem gerar novos mosquitos.

“Recife vem se destacando de forma vanguardista no uso de tecnologias limpas no enfrentamento das arboviroses. A técnica dos mosquitos estéreis, por ser feita através de radiação, é limpa, e se soma a outros esforços da Prefeitura em utilizar métodos que minimizem os impactos ambientais, a exemplo do larvicida biológico BTI”, explica a secretária executiva de Vigilância à Saúde do Recife, Marcella Abath. O Bacillus Thiringiensis Israelensis (BTI) é produzido especificamente para matar as espécies de mosquitos sem agredir o meio ambiente. Este larvicida é comprado em formulação granulada e que se dispersa em água, e tem uso contínuo.

O projeto está intensificando a soltura dos mosquitos, liberando, semanalmente, cerca de 500 mil mosquitos estéreis. “Esse é um projeto piloto, mas os dados atuais já indicam uma redução de 60% da taxa de eclosão dos ovos e de 20% da população dos mosquitos adultos. Tão logo essa tecnologia esteja validada, nós pretendemos expandir para outros bairros do Recife, outras cidades de Pernambuco e do país”, destaca Jair Virgínio, diretor-presidente da Moscamed.

O bairro de Brasília Teimosa foi escolhido para receber o projeto, desde 2019, por causa da localização geográfica, que provoca um isolamento que nenhum outro bairro possui, além de outros critérios ambientais, epidemiológicos e entomológicos (estudo dos insetos).

“É muito importante desenvolver um projeto como esse na América Latina, tendo em vista que as condições climáticas daqui são bem específicas. Então, se fossemos apenas importar métodos que já são realizados em países da Europa, por exemplo, não conseguiríamos atingir resultados tão promissores. Além disso, o grande diferencial é que essa é uma iniciativa que não requer um alto investimento”, pontua Rafael Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica.

DADOS – Até o dia 26 de junho deste ano, foram notificados 8.824 casos de arboviroses, sendo 3.845 casos de dengue, 4.860 de chikungunya e 119 de zika. Dentre estas notificações, foram confirmados 1.160 casos de dengue e 3.029 casos de chikungunya. O último Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa), realizado no período de 10 a 12/05/2021 (3º ciclo), apresentou resultado geral no Recife de 2,7% (risco alto). Trinta e um bairros apresentaram Risco Muito Alto de infestação pelo Aedes aegypti, com os maiores índices de infestação nos bairros da Jaqueira (9,0), Parnamirim (9,0), Tamarineira (9,0), Várzea (8,7), Dois Irmãos (8,3) e Sítio dos Pintos (8,3).

PLANO DE ARBOVIROSES – Para potencializar o controle do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, foi lançado, em junho, o Plano de Enfrentamento das Arboviroses 2021. No conjunto de ações para serem desenvolvidas ao longo do ano, estão previstos, além das ações de rotina, o lançamento de drones para monitoramento com sobrevoos nos locais de difícil acesso para os Agentes de Saúde Ambiental e Controle de Endemias (Asaces) e utilização de um aplicativo para denúncias de possíveis focos de arboviroses.

BORA SE CUIDAR CONTRA O MOSQUITO
– Em maio, a Secretaria de Saúde do Recife iniciou uma série de mutirões para prevenção das arboviroses, dentro da campanha “Bora se Cuidar contra o Mosquito”. Nos fins de semanas, agentes saúde ambiental e controle de endemias percorrem bairros da capital realizando inspeções em residências e pontos estratégicos para averiguar a existência de possíveis focos de Aedes aegypti.
Durante as ações, que podem chegar a 2.500 locais visitados, os agentes de endemias também fazem inspeções de denúncias de possíveis focos de mosquitos que foram recebidas pelo Conecta Recife, através da ferramenta digital ‘Bora se Cuidar contra o Mosquito’.

A plataforma, que está disponível no site Conecta Recife (conectarecife.recife.pe.gov.br) ou app Conecta Recife, permite que os moradores do Recife acionem a Vigilância Ambiental de forma rápida e eficiente para vistoriar áreas com possíveis focos do transmissor da dengue, chikungunya e zika. Essa é uma das estratégias da Prefeitura inseridas no Plano de Enfrentamento das Arboviroses 2021, lançado em junho. Desde então, já foram recebidas mais de 700 denúncias.

AÇÕES CONTINUADAS – A Prefeitura do Recife realiza ações continuadas para controle dos mosquitos transmissores das arboviroses. Na rotina dos Agentes de Saúde Ambiental e Controle de Endemias (Asaces) da Secretaria de Saúde do Recife estão visitas domiciliares para orientação da população e verificação de possíveis focos de mosquito; manutenção das ovitrampas (armadilhas para monitorar a infestação do mosquito); análise das Estações Disseminadoras de Larvicidas; e formação das Brigadas Contra o Mosquito, que envolvem instituições públicas e privadas da cidade.

Fonte: Prefeitura de Recife.

Leia mais notícias no Portal Defesa – Agência de Notícias.