Operação Guardiões do Bioma combate mais de 15 mil incêndios florestais em três meses

Brasília, 22/10/2021 – Em três meses de atuação, a Operação Guardiões do Bioma, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, mostra resultados positivos no combate aos incêndios florestais. Lançada em julho deste ano, de forma inédita, a ação já combateu mais de 15 mil incêndios florestais em 11 estados dos biomas da Amazônia, Cerrado e Pantanal.

“O sucesso da Operação materializa o compromisso do Governo Federal com a questão ambiental. Com união de esforços entre órgãos estaduais e federais seguiremos mostrando para o mundo que o Brasil está engajado na preservação dos seus biomas”, destaca o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres.

A ação é coordenada e articulada pela Secretaria de Operações Integradas do MJSP e tem como foco mobilizar profissionais especializados para apoiar regiões em situações críticas.

Foram realizadas 2.792 ações preventivas por profissionais do Corpo de Bombeiros Militares, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), desde o início da Operação.

No período, ainda houve o emprego de 1.997 viaturas, 94 embarcações, 11 aeronaves de asa fixa e 10 helicópteros.

A Polícia Federal é responsável por desenvolver ações de inteligência e polícia judiciária, visando prevenir, mitigar e reprimir devastações criminosas, além de prestar apoio logístico aos demais órgãos participantes. Nas rodovias federais, a Polícia Rodoviária Federal está presente na coordenação, na segurança e na repressão de eventuais crimes.

As Polícias Civis, Militares e a Defesa Civil fazem parte de ações repressivas.

A operação também envolve os Ministérios do Meio Ambiente, Desenvolvimento Regional, as Secretarias Estaduais de Segurança Pública e de Meio Ambiente, além do Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (Ligabom).



Fonte: Ministério da Justiça e Segurança Pública

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário