OAB Nacional realiza VII Colégio de Tesoureiros no Paraná

A OAB Nacional realizou na última sexta-feira (17), o VII Colégio de Tesoureiros do Conselho Federal. O encontro teve como sede a seccional paranaense da Ordem e reuniu os diretores-tesoureiros das 27 seccionais. Segundo o diretor-tesoureiro da OAB Nacional, José Augusto Araújo de Noronha, o evento foi a oportunidade para aprofundar do debate sobre mecanismos de aperfeiçoamento da governança do sistema OAB. Envolveu temas relacionados a gestão, eficiência e transparência. O encontro criou oportunidades para troca de experiências com o objetivo de otimizar parâmetros e métricas de gerenciamento das seccionais.

Noronha falou sobre a responsabilidade da seccional em sediar o primeiro evento totalmente presencial da OAB desde o início da pandemia. “A OAB-PR tem a honra de sediar o Colégio de Tesoureiros, um evento com a participação dos 27 diretores que têm a incumbências de cuidar das finanças da OAB nesse tempo tão difícil”, disse. Para a realização do encontro, foram obedecidos todos os protocolos de segurança sanitária.

Durante o evento, foram analisadas a aplicação do provimento 185 e ferramentas de gestão e controle. Noronha salientou que o grupo fez um debate importante e essencial a respeito das “melhores formas de fazer mais com menos garantindo a melhor aplicação dos recursos da OAB”. Houve apresentações e diálogos temáticos sobre investimentos realizados nas seccionais; tendências e desafios do mercado financeiro para os próximos meses; a necessidade de prestação de contas autônoma das Caixas de Assistência dos Advogados; e sobre a prescrição das anuidades e a necessidade de revisão da Súmula 06/2014, entre outros.

“O VII Colégio de Tesoureiros do Conselho Federal serviu também para analisar os avanços e desafios em tempos de grave crise econômica e ferramentas para auxiliar as seccionais a conseguirem cumprir, com isonomia, a defesa das prerrogativas, o fomento às ESAs, a manutenção patrimonial, os escritórios compartilhados, a inclusão digital, a defesa dos honorários advocatícios e tantos outros benefícios e serviços que são realizados em todas as seccionais do Brasil”, destacou Noronha.



Fonte: Ordem dos Advogados do Brasil