Novo sistema de realidade virtual permite explorar o universo

Um novo software de realidade virtual permite que as pessoas explorem o universo, dando a elas a possibilidade de realizar uma verdadeira viagem ao espaço, a partir de um ambiente virtual.

Cientistas da Escola Politécnica Federal de Lausana desenvolveram um ambiente virtual que permite às pessoas entrarem em um ambiente virtual no qual é possível explorar o espaço. Usando os dados astrofísicos obtidos mais recentemente, esses pesquisadores desenvolveram um software de código aberto chamado VIRUP, Virtual Reality Universe Project, ou em tradução livre, Projeto Universo de Realidade Virtual.

Neste ambiente virtual, será possível navegar por um mapa bastante detalhado do universo a partir do conforto da sua casa. Este sistema de realidade virtual permite imitar de forma muito fiel o que um astronauta veria durante uma viagem no espaço.

O astrofísico Yves Revaz, que fez parte da equipe de criação do novo software de realidade virtual, afirmou que pensou em representar os dados obtidos do universo como um filme, porém, um pouco depois, ele se questionou: “Que tal criar uma representação visual dos dados em tempo real, como se você estivesse lá, como um observador em um ponto aleatório no espaço e no tempo?”

Foi a partir desse questionamento que surgiu a ideia de criar o software VIRUP. Com a ajuda do engenheiro de software Florian Cabot, eles renderizaram uma grande quantidade de dados a uma taxa de 90 frames por segundo. Com essas configurações, o ambiente de realidade virtual criado por eles garante uma experiência totalmente envolvente e suave para quem experimentá-la.

Sobre a importância de seu novo projeto, Revaz disse: “O VIRUP é definitivamente uma maneira de tornar todos os nossos dados astrofísicos acessíveis a todos, e isso se tornará ainda mais importante à medida que construirmos telescópios maiores, como o Square Kilometer Array, que irá gerar enormes quantidades de dados”.

O VIRUP já fez uso de dados armazenados em mais de oito bancos de dados. Neste universo virtual, é possível conferir a Estação Espacial Internacional, a lua, a Via Láctea e sua futura colisão com a galáxia de Andrômeda, assim como inúmeras outras partes do universo.

Há também a possibilidade de visitar os 4.500 exoplanetas descobertos até agora e, segundo Cabot, os dados existentes neste software apenas aumentarão com o passar do tempo: “Pensamos em usar motores gráficos existentes para visualizar os dados, mas no final, desenvolvi um especificamente para o projeto. Ele é flexível e, com isso, podemos adicionar mais dados à medida que se tornam disponíveis e que forem adaptados à astronomia”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário