NASA lança nova nave espacial para explorar asteroides desconhecidos

Créditos: G1

Uma equipe de astrônomos da NASA lançou, nesta semana, uma nova nave espacial para explorar oito asteroides ainda desconhecidos, os quais são chamados de “asteroides Troianos”. Estes asteroides dividem sua órbita com o planeta de Júpiter e serão o foco da nova missão da agência espacial.

A nova missão ganhou o nome de Lucy e teve um início de sucesso neste sábado (16). A nave foi lançada a partir da Estação de Força Espacial, localizada na Flórida, nos Estados Unidos. A missão envolveu um foguete do tipo Atlas V, que foi capaz de carregar a espaçonave de aproximadamente 1,5 tonelada.

Todos os custos da nova missão ficaram em torno de 981 milhões de dólares, cerca de 3 bilhões e 69 milhões de reais. Durante a missão, a nave voará pelo maior número possível de asteroides localizados perto de Júpiter, sendo, ao total, oito asteroides diferentes: um asteroide localizado no Cinturão Principal e sete chamados de Troianos.

Os asteroides troianos que dividem a órbita com Júpiter serão explorados pela nave espacial da NASA e, segundo astrônomos, acredita-se que eles possam ser resíduos do material original que formou os planetas.

A NASA ainda publicou um comunicado revelando os motivos por trás da escolha do nome Lucy para a missão: “A missão leva o nome do mais antigo fóssil humano (chamado de Lucy por seus descobridores), cujo esqueleto forneceu uma visão única sobre a evolução da humanidade. Da mesma forma, a missão Lucy irá revolucionar nosso conhecimento sobre as origens planetárias e sobre a formação do sistema solar”.

Conforme revelado pelo cronograma da NASA, a missão Lucy chegará a seu primeiro asteroide em abril de 2025, sendo ele um asteroide localizado no cinturão principal, que leva o nome de Donald Johanson, o antropólogo americano que participou da descoberta do fóssil Lucy.

Como nenhuma nave jamais chegou até estes asteroides, a NASA considerou a missão como revolucionária. A nave usará impulsos da gravidade da Terra para completar sua jornada e fornecerá aos humanos a primeira visão realmente aproximada de todos os três principais tipos de corpos celestes ali encontrado.

A missão Lucy é única no sentido de que nenhuma outra missão espacial na história foi lançada com o objetivo de chegar a tantos destinos diferentes em órbitas consideradas independentes ao redor do sol. Assim, ela poderá mostrar, pela primeira vez, a variedade dos corpos celestes que foram responsáveis pelo desenvolvimento dos demais planetas.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário