Mais 18 jovens se formam em Santos em cursos de alimentos e bebidas

FORMANDOS OTIMISTAS

Formaram-se nesta segunda-feira (13) mais 17 alunos do Estação Bistrô Restaurante-Escola, em qualificação em serviços de alimentos e bebidas, incluindo salão, cozinha quente, cozinha fria e bar, sempre como auxiliares. Também recebeu diploma uma aluna do curso associado de agente de turismo e barista, aplicado no Bonde Café e no Museu Pelé. A cerimônia foi realizada no auditório do Museu Pelé.

Devido a interrupções causadas pela pandemia de covid-19, esta foi a turma de mais longa trajetória entre início e fim das aulas, que tiveram a duração estendida de sete para 14 meses. Os estudantes têm entre 18 e 29 anos e são selecionados pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds), por meio de equipamentos como o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e o Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas).

O curso no restaurante-escola é desenvolvido por meio de parceria entre a Secretaria de Empreendedorismo, Economia Criativa e Turismo (Seectur), responsável pelo edifício, e a Universidade Católica de Santos (Unisantos), que mantém os professores e a execução das aulas. Já o curso de barista e agente de turismo é realizado em conjunto com o Museu Pelé. A cada um dos alunos, a Seds concede uma bolsa no valor de um salário mínimo (R$ 1,1 mil atualmente), por meio do programa Novo Rumo.

“Só temos a agradecer a todos os funcionários e a parabenizar os estudantes, que se dedicaram e estudaram muito, começando a desenhar uma nova proposta de vida, com uma carreira sólida e oportunidades de trabalho”, disse o secretário de Desenvolvimento Social, Carlos Mota, presente à formatura.

HISTÓRICO

O curso do restaurante-escola teve início em 2012, em parceria com o governo federal. Posteriormente, o Município formou novas parcerias, como as atuais, com a Unisantos e o Museu Pelé para a formação de baristas. Nestes dez anos, 300 alunos já foram formados em 14 turmas.

Formandos estão otimistas com mercado de trabalho

Morador do Morro São Bento, Isael Azevedo, 22 anos, foi um dos diplomados nesta segunda-feira. “Já ia me iniciar em confeitaria. Mas aí, quando a assistente me apresentou esse curso no restaurante-escola, me deu mais vontade de entrar nele, pois uma coisa que amo é cozinhar. Graças a Deus, tive a oportunidade de fazer e conseguir chegar até o final”, conta, entusiasmado para novos desafios. “Agora estou formado e isso vai abrir muitas portas de emprego pra mim. Aqui foi um início e pretendo evoluir cada vez mais e continuar nesse ramo”.

Já pelo curso de barista, a única formanda – normalmente são dois alunos por turma – foi Caroline Santana, 21, moradora do Caruara. “Começou tudo com o restaurante-escola. Lá dentro, descobri que havia o curso de barista, que era associado. Fiquei interessada em trabalhar no bonde e ter mais oportunidades. Entrei e gostei bastante. É um trabalho em que a gente se relaciona muito com as pessoas. E, com as atividades no museu, a gente ensina e aprende. É muito boa essa interação”.

Para ela, o aprendizado representou uma oportunidade de ingressar em um mercado que requer investimento financeiro inacessível para grande parte da população. “Hoje em dia, as pessoas procuram profissionais com curso de barista, o que é muito caro. Então, para mim, foi de extrema importância”.

 

 

Fonte: Prefeitura Municipal de Santos.

Leia mais notícias no Portal Defesa.