Hamilton Mourão defende bioeconomia para o desenvolvimento do Pará

O vice-presidente da República e presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL), Hamilton Mourão, defendeu a bioeconomia como ferramenta de desenvolvimento do Pará e preservação do bioma amazônico. Mourão afirmou que ações já adotadas pelo Governo do Estado auxiliam na produção e serviços mais sustentáveis.

“O Governo do Pará tem um plano que atua em sintonia com as nossas ações”, afirmou o vice-presidente. “A sustentabilidade já é um tema essencial no século XXI. Entendemos que nossas ações na Amazônia precisam estar focadas  nas operações de comando e controle, pagamento por serviços ambientais, ordenamento territorial com a regularização fundiária, além do estímulo à inovação e à bioeconomia”, explicou.

“Neste sentido, temos um tripé em que precisamos avançar no mapeamento das cadeias de valor, infraestrutura, logística e buscar atração de financiamento privado para desenvolver ações e fazer a economia andar”, completou o vice-presidente  e presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL).

A afirmação de Hamilton Mourão foi durante coletiva de imprensa realizada, na tarde desta sexta-feira (10), no Museu Emílio Goeldi, instituição de pesquisa ligada ao Ministério da Ciência, em Belém. A coletiva fez parte do encerramento oficial da missão diplomática do vice-presidente e mais 10 embaixadores e autoridades na Amazônia Oriental no Pará.

Hamilton Mourão também defendeu a necessidade estratégica de conciliar o desenvolvimento socioeconômico com a preservação da natureza. “Temos que ter uma política de estado firme para a Amazônia. Precisamos proteger a Amazônia que vão deste das fronteiras, proteção das pessoas e preservação do meio ambiente”, disse. 

O vice-presidente defendeu a importância do desenvolvimento sustentável estar unido ao dia a dia da população e ressaltou a importância de financiamentos público e privado. “Precisamos valorizar aqueles que fazem parte do começo da cadeia de produção”, ponderou.

Ainda durante a coletiva de imprensa, a senadora Kátia Abreu, uma das integrantes da missão, informou que houve uma redução de 38% de desmatamento na Região da Amazônia na comparação de agosto deste ano com o mesmo período do ano anterior. 

Após a coletiva de imprensa, o governador Helder Barbalho almoçou com Hamilton Mourão e a comitiva. 

Vice-presidente e governador lançaram linha de crédito para produtores rurais que adotam práticas sustentáveis

Na última quarta-feira (08), o governador Helder Barbalho e o vice-presidente  lançaram, em Belém,  o BanPará Bio, uma linha de financiamento no Banco do Estado do Pará (Banpará) para apoiar produtores rurais inscritos no programa. O ato foi um importante passo para o fortalecimento do Programa Estadual Territórios Sustentáveis.

Missão diplomática foi encerrada com agendas em Belém 

O último dia de agenda oficial da missão diplomática de Hamilton Mourão, embaixadores e autoridades no Pará priorizaram compromissos na capital do Estado. A comitiva visitou a Fundação Evandro Chagas e ,em seguida,  o Museu Emílio Goeldi onde concederam coletiva de imprensa e um almoço de encerramento. 

Missão diplomática

De acordo com informações da Vice-Presidência da República, a missão diplomática no Pará teve como objetivo, ao longo dos últimos três dias, apresentar atividades de alguns ministérios que compõem o Conselho Nacional da Amazônia Legal, proporcionando aos embaixadores a oportunidade de conhecer a realidade amazônica e as principais ações do Governo Federal para proteger, preservar e desenvolver a região.

Os integrantes da comitiva conheceram parcerias público-privadas que atuam com conservação florestal, pesquisas no campo da saúde e da biologia, projetos de bioeconomia e de exploração sustentável das riquezas naturais da Amazônia, que geram emprego e renda na região.

Ainda segundo o Governo Federal, estão confirmadas a participação dos seguintes chefes de missões diplomáticas: Japão, Espanha, União Europeia, Angola, Paraguai, França, Índia, Uruguai, Reino Unido, Suíça, Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), da senadora Kátia Abreu e do senador Nelson Trad, dentre outros.



Fonte: Agência Pará de Notícias