Google planeja integrar sua tecnologia aos semáforos ao redor do mundo

Créditos: Twitter

Os executivos do Google recentemente começaram a implantar um de seus novos planos em busca de uma sociedade mais sustentável. A empresa conduziu seus primeiros testes relacionados à integração de seu sistema de inteligência artificial a semáforos ao redor do mundo.

Este projeto tem como objetivo analisar se o software desenvolvido pela empresa pode melhorar a eficiência dos semáforos e, como resultado direto disso, diminuir a poluição gerada pelos veículos.

Semáforos mal cronometrados não apenas fazem as pessoas perderem um significante tempo de suas vidas, mas também são ruins para o meio ambiente. Essa informação foi destacada pela diretora de sustentabilidade da companhia Google, Kate Brandt, em um evento organizado pela empresa.

Com esta linha de pensamento, a companhia planejou muitos produtos e serviços centrados na sustentabilidade, os quais visam ajudar os usuários a tomar decisões mais ecologicamente corretas em seu dia a dia. Ainda com esse objetivo em mente, a empresa também revelou que está trabalhando para melhor desenvolver o projeto que, no futuro, poderia usar um sistema de inteligência artificial para tornar os semáforos mais eficientes.

Como Brandt apontou durante o evento em que participou, “quando seu veículo para em um cruzamento, este tempo parado leva ao desperdício de combustível e, consequentemente, mais poluição do ar nas ruas”.

O novo projeto do Google utilizaria a inteligência artificial desenvolvida pela companhia para medir e calcular as condições de tráfego e o tempo nãos cruzamentos de uma cidade. Em seguida, o sistema passaria a cronometrar os semáforos ali existentes com mais eficiência.

A diretora Brandt disse que um dos grupos de pesquisa do campo de inteligência artificial da empresa foi capaz de calcular e reunir esses dados com precisão, treinando um modelo projetado para otimizar semáforos ineficientes em cruzamentos.

O Google realizou testes do novo sistema em quatro locais até o momento, todos feitos em Israel. A empresa afirmou que observou uma “redução de 10 a 20 por cento no combustível e no tempo de atraso em cada cruzamento” até o momento.

A companhia não compartilhou nenhum detalhe sobre o tráfego médio diário nesses cruzamentos, embora um vídeo divulgado mostrasse cruzamentos bastante movimentados. A empresa também não explicou como a inteligência artificial utilizada neste sistema funcionaria em cruzamentos específicos.

“É o início”, disse Brandt, “mas com base nesses resultados promissores, agora estamos iniciando novos testes no Rio de Janeiro e em outras cidades ao redor do planeta.” Esta é, sem dúvidas, uma das etapas em direção a um futuro marcado por cidades inteligentes repletas de sistemas automatizados.