Fiocruz divulga resultado da Chamada Pública para Apoio a Ações Emergenciais de Enfrentamento à Covid-19 nas Favelas

A Fiocruz tem a satisfação de divulgar o resultado final da Chamada Pública para Apoio a Ações Emergenciais de Enfrentamento à COVID19 nas Favelas do Rio de Janeiro, lançada em março de 2021, que pretende contribuir para a mitigação dos efeitos da pandemia junto a populações em favelas fluminenses.

A chamada pública teve ótima acolhida e recebeu 270 proposições de 41 munícipios do estado do Rio de Janeiro. Foram aprovados 104 projetos que poderão receber um total de até R$ 15.450.000,00, segundo as especificações do Regulamento. Neste primeiro momento, foram selecionados  41 projetos aprovados com o montante de R$ 4.500.000,00 para início imediato das ações nas próximas semanas.

Como sinaliza a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima: “Esta Chamada Pública é fruto de uma articulação interinstitucional que culmina hoje em mais uma contribuição da Fiocruz para a redução da desigualdades sociais que incidem na pandemia, especialmente em territórios de favela.”

Prevista inicialmente como ação única, diante da expressiva demanda de solicitação, a Fiocruz anuncia que realizará uma II Chamada ública para Apoio a Ações Emergenciais de Enfrentamento à COVID19 nas Favelas do Rio de Janeiro com foco em projetos de até R$ 50.000,00 com um montante mínimo de R$ 1.550.000,00. 

Richarlls Martins, coordenador executivo do Plano Fiocruz Enfrentamento à COVID19 nas Favelas do Rio de Janeiro, avalia este processo: “Esta seleção recebeu projetos que expressam uma ampla abrangência do território fluminense e a urgência de ações com foco nas favelas. A segunda edição da Chamada Pública possibilitará a organizações com comprovado trabalho de vigilância em saúde de base territorial, mas que tiveram dificuldades com documentações ou com a elaboração do projeto que possam postular e futuramente serem apoiadas. Contamos na Comissão de Avaliação com pesquisadores e docentes da Fiocruz, UFRJ, UERJ, PUC RJ, IFF, Unirio e Observatório das Metrópoles que analisaram as propostas num trabalho intenso, devido a qualidade e importância dos projetos inscritos. Nos chamou atenção, para além dos projetos com centralidade no campo da segurança alimentar e comunicação, as ações que versavam sobre saúde mental e os efeitos psicossociais da pandemia sobre as populações que vivem em favelas.”

Os recursos a serem investidos são provenientes da Lei Nº 8.972/20, do Fundo Especial da ALERJ à Fiocruz. Esses recursos são resultado de um esforço interinstitucional envolvendo UFRJ, UERJ, PUC-Rio, SBPC, ABRASCO, Fiocruz, sindicatos de profissionais das áraeas de saúde e assistência social, bem como organizações baseadas em favelas. Juntas, essas entidades elaboraram o o Plano de Ação para Enfrentamento da Covid-19 nas Favelas do Rio de Janeiro.  

O resultado final da Chamada Pública para Apoio a Ações Emergenciais de Enfrentamento à COVID19 nas Favelas do Rio de Janeiro pode ser acessado aqui.

O resultado da análise dos recursos pode ser acessado aqui.

Todas as organizações selecionadas nesta primeira fase receberão mensagem diretamente por email nos próximos dias.

Demais orientações e dúvidas podem ser remetidas para o email: [email protected]

Fonte: Fundação Oswaldo Cruz

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário