Facebook está usando vídeos para treinar inteligência artificial

Créditos: TOTVS

O gigantes das redes sociais, Facebook, compartilhou a informação de que está usando vídeos em primeira pessoa para treinar os futuros sistemas de inteligência artificial que deverão ser utilizados pela companhia.

Segundo a empresa, os dados que serão obtidos a partir do ponto de vista em primeira pessoa ajudarão os computadores a “ver o mundo” como os seres humanos, tornando seu sistema de inteligência artificial mais eficiente e preciso.

Um dos objetivos desse projeto é permitir que as máquinas consigam passar a ver o mundo da mesma maneira como um ser humano o faz. Na manhã desta quinta-feira (14), o Facebook começou a falar sobre o Ego4D, um projeto planejado para treinar a inteligência artificial utilizada pela empresa no futuro.

A inteligência artificial presente em inúmeros sistemas atualmente normalmente aprende a se comportar através do uso de fotos e vídeos capturados em terceira pessoa, mas, segundo o texto publicado pelo Facebook, a inteligência artificial da próxima geração aprenderá ao utilizar vídeos que mostram o mundo a partir de uma perspectiva em primeira pessoa.

Na nota divulgada pela companhia, foi informado que o total de 13 universidades já foram recrutadas para participar do novo projeto. Estas universidades estão espalhadas em nove diferentes países e coletaram e forneceram aproximadamente 2.200 horas de filmagem com 700 participantes para o novo projeto.

Essas filmagens foram feitas a partir da perspectiva de cada usuário, algo que pode ser usado para treinar os futuros modelos de inteligência artificial da empresa. A doutora Kristen Grauman, cientista-chefe de pesquisa do Facebook, afirmou que esta é a maior coleção de dados já realizada até os dias atuais com este objetivo.

A filmagem teve como foco uma série de experiências comuns na vida humana, incluindo momentos de interação social, uso de objetos e previsão sobre o que vai acontecer. Esses treinamentos representam um grande passo em direção a melhores experiências de computação.

O Facebook informou que os conjuntos de dados obtidos com os novos estudos sobre este projeto serão divulgados em novembro para os pesquisadores que assinarem o acordo de uso de dados do Ego4D. Além disso, já no ano de 2022, outros pesquisadores também poderão fazer estes treinamentos com as máquinas, com o propósito de calibrar estes sistemas para que possam melhor entender o que exatamente os humanos estão fazendo e pensando ao longo de suas vidas.