Ex-funcionários da SpaceX estão desenvolvendo um novo reator nuclear portátil

Créditos: Power Magazine

Segundo um comunicado divulgado à imprensa, uma equipe de engenheiros que trabalharam na companhia SpaceX, de Elon Musk, estão trabalhando em um novo projeto que busca criar um reator nuclear que pode ser levado para qualquer local.

Com o sucesso da criação deste novo reator, a energia nuclear pode se tornar portátil, sendo carregada por meio de microrreatores leves e econômicos. A equipe de ex-engenheiros da SpaceX está desenvolvendo o que pode ser chamado de “primeira fonte de energia portátil com zero emissão do mundo”.

Este reator portátil será capaz de levar energia para áreas remotas e também permitirá a instalação rápida de novas unidades em áreas populosas, trazendo inúmeros benefícios à população.

No ano de 2020, a equipe de ex-engenheiros da SpaceX garantiu o total de 1,2 milhão de dólares como financiamento de investidores para a startup fundada por eles, que ganhou o nome de Radiant. O investimento foi feito para contribuir com o desenvolvimento dos microrreatores nucleares portáteis, que, assim que estiverem prontos, no futuro, serão destinados tanto a uso comercial quanto a uso militar.

A tecnologia em desenvolvimento pela startup Radiant traz uma dimensão totalmente nova quando o assunto é portabilidade para reatores nucleares. Este microrreator, que ainda está em fase de desenvolvimento de seu protótipo, produz energia o suficiente para abastecer cerca de 1.000 residências por até oito anos, segundo um comunicado feito pela empresa.

O equipamento pode ser facilmente transportado por via aérea, marítima e rodoviária, o que significa que trará energia acessível para comunidades sem acesso fácil a energia renovável. Por sua vez, isto permitirá que estas comunidades tenham uma redução em sua dependência de combustíveis fósseis, trazendo mais benefícios à natureza e à própria população.

O fundador e CEO da Radiant, Doug Bernauer, é um ex-engenheiro da SpaceX e, durante seu tempo na companhia de Elon Musk, trabalhou no desenvolvimento de fontes de energia para uma futura colônia de Marte. Durante sua pesquisa sobre possíveis microrreatores para Marte, ele viu uma oportunidade para desenvolver uma fonte de energia acessível aqui na Terra, o que o levou a fundar a Radiant com dois outros engenheiros da SpaceX.

O microrreator usará um combustível de partículas avançado que não derrete e que, por esse motivo, será capaz de suportar temperaturas mais altas do que os combustíveis nucleares tradicionais. Radiant assinou um contrato com a Battelle Energy Alliance para testar sua nova tecnologia no Laboratório Nacional de Idaho, nos Estados Unidos, assim que esta estiver finalizada.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário