Estudo analisa características genéticas de serpentes amazônicas

Pesquisa realizada por Patrik Ferreira Viana, doutor em Genética, Conservação e Biologia Evolutiva pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), analisou características genéticas comuns e distintivas entre diferentes espécies de serpentes da região amazônica. O trabalho, intitulado Evolução cromossômica em serpentes neotropicais: uma abordagem comparativa, foi vencedor do Prêmio CAPES de Tese 2021, na área de Ciências Biológicas I.

Segundo o pesquisador, o estudo analisou os cromossomos e DNA das serpentes da família Boidae, formado pelas jiboias, sucuris, suaçuboias, jiboias-arco-íris e jiboias-esmeraldas, a partir de uma ótica temporal. “Nós tentamos estimar como seriam as configurações desses cromossomos no passado, das espécies ancestrais que deram origem as espécies contemporâneas. E como seriam essas mesmas configurações cromossômicas em cenários futuros”, explica Patrik.

Os resultados mostraram que espécies muito diferentes como, por exemplo, uma jiboia e uma jararaca, ainda possuem assinaturas genômicas em comum, resquícios de ancestralidade nos seus genomas. O pesquisador explica que o trabalho traz informações importantes sobre a biologia evolutiva, tanto sobre cromossomos sexuais, quanto acerca da diversidade cromossômica dessas diferentes espécies de serpentes amazônicas.

Patrik Viana publicou mais de 40 artigos em periódicos internacionais, tornando o Brasil um expoente nesse tópico da biologia evolutiva, a evolução de cromossomos em serpentes.  “Nosso laboratório no Instituto Nacional de pesquisa da Amazônia se tornou referência mundial”, conta.

 

Assessoria de Comunicação Social do MEC com informações da CAPES

 



Fonte: Ministério da Educação.

Leia mais notícias no Defesa – Agência de Notícias.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário