Embaixada do Brasil nos EUA divulga artigo de pesquisador da Embrapa

A Embaixada do Brasil nos Estados Unidos divulgou, em sua newsletter de junho, artigo de autoria do pesquisador Evaristo de Miranda, chefe-geral da Embrapa Territorial. O texto fora publicado originalmente em português na edição 59 da Revista Oeste, em maio deste ano, com o título “O campeão da proteção florestal”. Miranda mostra como o Brasil tornou-se a primeira nação em áreas protegidas no mundo. O texto aborda as práticas conservacionistas desde a época da Coroa portuguesa e do Império e destaca a segurança dada à nossa herança florestal pela crescente criação de áreas protegidas pelo Poder Público nas três últimas décadas. Hoje, como escreve o articulista, o País ocupa 6,3% das terras continentais do planeta e suas áreas protegidas representam 12,3% das existentes. Traduzido para o inglês, o artigo alcançou os mais de cinco mil leitores do periódico, distribuídos em variados setores de atividade. O pesquisador chama a atenção para a importância da divulgação dos dados abordados no texto. “O fato de o Brasil dedicar mais território do que qualquer outro à proteção da vegetação nativa não é conhecido, nem reconhecido. Paradoxalmente, o Brasil é o campeão de condenações em tribunais ambientalistas e midiáticos. E alvo constante de críticas por parte de países e organizações estrangeiras”, escreveu. Leia a versão em português aqui.

A Embaixada do Brasil nos Estados Unidos divulgou, em sua newsletter de junho, artigo de autoria do pesquisador Evaristo de Miranda, chefe-geral da Embrapa Territorial. O texto fora publicado originalmente em português na edição 59 da Revista Oeste, em maio deste ano, com o título “O campeão da proteção florestal”. 

Miranda mostra como o Brasil tornou-se a primeira nação em áreas protegidas no mundo. O texto aborda as práticas conservacionistas desde a época da Coroa portuguesa e do Império e destaca a segurança dada à nossa herança florestal pela crescente criação de áreas protegidas pelo Poder Público nas três últimas décadas. Hoje, como escreve o articulista, o País ocupa 6,3% das terras continentais do planeta e suas áreas protegidas representam 12,3% das existentes. 

Traduzido para o inglês, o artigo alcançou os mais de cinco mil leitores do periódico, distribuídos em variados setores de atividade. O pesquisador chama a atenção para a importância da divulgação dos dados abordados no texto. “O fato de o Brasil dedicar mais território do que qualquer outro à proteção da vegetação nativa não é conhecido, nem reconhecido. Paradoxalmente, o Brasil é o campeão de condenações em tribunais ambientalistas e midiáticos. E alvo constante de críticas por parte de países e organizações estrangeiras”, escreveu.

Leia a versão em português aqui



Fonte: Embrapa