Em maio, encontro latino-americano e caribenho discutirá sustentabilidade em ambientes de montanha

Os ambientes de montanha vêm ganhando a atenção de boa parte das instituições de pesquisa mundiais devido ao seu potencial e à necessidade de desenvolver políticas sustentáveis que os envolvam. É com essa intenção que, entre os dias 11 e 13 de maio, a Embrapa promoverá, juntamente com outros parceiros, o I Encontro Internacional da Rede Latino-Americana e Caribenha de Pesquisa e Inovação em Ambientes de Montanha, totalmente on-line e gratuito. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas aqui. O evento tem como mote a criação e a efetiva estruturação da Rede, cuja formação foi formalizada durante a conferência Mountains 2018, realizada no município serrano fluminense de Nova Friburgo. Estão previstos debates sobre a transdisciplinaridade da pesquisa em territórios de montanha, com o intuito de observar oportunidades e definir prioridades para a Lacmont, além de outros sobre a governança da Rede e as diretrizes para o seu funcionamento. Mas, para além da estruturação normativa da Rede, a iniciativa espera trazer relatos de experiências relacionados à pesquisa e à inovação em territórios de montanha. Os interessados em mandar seus relatos podem se inscrever e encaminhar o material até o dia 10 de abril. O material será avaliado por uma comissão científica e dez serão selecionados para apresentação durante o evento. A Rede Latino-Americana e Caribenha de Pesquisa e Inovação em Ambientes de Montanha engloba instituições de diversos países de seu território de abrangência, e sua meta é avançar cooperativamente em pesquisas sobre diferentes temas relacionados com as montanhas, de forma a gerar informação, conhecimento e outras iniciativas conjuntas para conservação, recuperação, promoção de serviços ambientais e desenvolvimento sustentável desses ambientes. “O objetivo é reforçar a pesquisa na área e estabelecer metas para melhorar a vida das pessoas, com sustentabilidade”, afirma a pesquisadora da Embrapa Agrobiologia Adriana Maria de Aquino, uma das principais articuladoras para a formação da Rede. Ecossistemas completos e complexos As montanhas constituem aproximadamente 22% da superfície terrestre, englobando boa parte dos fragmentos remanescentes de florestas naturais, fontes hídricas e outros recursos que asseguram a prestação de serviços ecossistêmicos, que são, concomitantemente, essenciais ao bem-estar humano, à manutenção da biodiversidade e do equilíbrio natural. Muitos dos ambientes montanhosos são habitados e detêm particularidades em relação às condições ambientais, o que requer um olhar mais atento e abrangente para aliar crescimento econômico e desenvolvimento social à conservação ambiental. Os pesquisadores são categóricos ao afirmar que a inovação que se deseja para as montanhas demanda uma ação transdisciplinar, considerando que esses ambientes sofrem a ação conjunta de diferentes setores, como agricultura, turismo, cultura e meio ambiente, o que requer um cuidado especial para que essa interação proporcione vantagens mútuas. “Este exercício, de observar a partir de um novo ponto de vista, não visa apenas a entender o movimento social que se desenha, mas também de atuar com essa estratégia nos diversos setores que possam apoiar a promoção do desenvolvimento sustentável em ambientes de montanha”, aponta o pesquisador da Embrapa Agrobiologia Renato Linhares. Cooperação em rede O objetivo da Rede Latino-Americana e Caribenha de Pesquisa e Inovação em Ambientes de Montanha é promover a circulação e a partilha de informações entre pesquisadores e instituições que se dedicam a temas transversais aos ambientes de montanha. “A formação dessas redes é importante na medida em que podem contribuir efetivamente para a construção de políticas públicas que beneficiem essas regiões”, acrescenta Claudia Delaia, analista da Embrapa Solos. Com a realização do Lacmont 2021, o Núcleo de Pesquisa e Treinamento de Agricultores (NPTA), situado em Nova Friburgo e vinculado à Embrapa, confirma o seu protagonismo na discussão da temática das montanhas tanto no contexto brasileiro do desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação, quanto no cenário internacional, levando sua experiência agora para abranger América Latina e Caribe. São parceiros da Embrapa na realização deste encontro: Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo (Acianf); Associação das Montanhas Famosas do Mundo; instituto Crescente Fértil; Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio de Janeiro (Emater-Rio); Mountain Partnership, entidade vinculada à FAO; Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado do Rio de Janeiro (Faperj); Ecossistema de Inovação de Nova Friburgo (InovaFri); Prefeitura Municipal de Nova Friburgo; Universidade da Geórgia (EUA); e Universidade Federal do Ceará (UFC). Informações mais detalhadas sobre o envio dos relatos de experiência e a programação podem ser encontradas no site do evento: https://www.lacmont2021.com.br. Serviço I Encontro Internacional da Rede Latino-Americana e Caribenha de Pesquisa e Inovação em Ambientes de Montanha Data: 11 a 13 de maio Informações: http://www.lacmont2021.com.br

Os ambientes de montanha vêm ganhando a atenção de boa parte das instituições de pesquisa mundiais devido ao seu potencial e à necessidade de desenvolver políticas sustentáveis que os envolvam. É com essa intenção que, entre os dias 11 e 13 de maio, a Embrapa promoverá, juntamente com outros parceiros, o I Encontro Internacional da Rede Latino-Americana e Caribenha de Pesquisa e Inovação em Ambientes de Montanha, totalmente on-line e gratuito. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas aqui.

O evento tem como mote a criação e a efetiva estruturação da Rede, cuja formação foi formalizada durante a conferência Mountains 2018, realizada no município serrano fluminense de Nova Friburgo. Estão previstos debates sobre a transdisciplinaridade da pesquisa em territórios de montanha, com o intuito de observar oportunidades e definir prioridades para a Lacmont, além de outros sobre a governança da Rede e as diretrizes para o seu funcionamento. Mas, para além da estruturação normativa da Rede, a iniciativa espera trazer relatos de experiências relacionados à pesquisa e à inovação em territórios de montanha. Os interessados em mandar seus relatos podem se inscrever e encaminhar o material até o dia 10 de abril. O material será avaliado por uma comissão científica e dez serão selecionados para apresentação durante o evento. 

A Rede Latino-Americana e Caribenha de Pesquisa e Inovação em Ambientes de Montanha engloba instituições de diversos países de seu território de abrangência,  e sua meta é avançar cooperativamente em pesquisas sobre diferentes temas relacionados com as montanhas, de forma a gerar informação, conhecimento e outras iniciativas conjuntas para conservação, recuperação, promoção de serviços ambientais e desenvolvimento sustentável desses ambientes. “O objetivo é reforçar a pesquisa na área e estabelecer metas para melhorar a vida das pessoas, com sustentabilidade”, afirma a pesquisadora da Embrapa Agrobiologia Adriana Maria de Aquino, uma das principais articuladoras para a formação da Rede.

Ecossistemas completos e complexos

As montanhas constituem aproximadamente 22% da superfície terrestre, englobando boa parte dos fragmentos remanescentes de florestas naturais, fontes hídricas e outros recursos que asseguram a prestação de serviços ecossistêmicos, que são, concomitantemente, essenciais ao bem-estar humano, à manutenção da biodiversidade e do equilíbrio natural. Muitos dos ambientes montanhosos são habitados e detêm particularidades em relação às condições ambientais, o que requer um olhar mais atento e abrangente para aliar crescimento econômico e desenvolvimento social à conservação ambiental.

Os pesquisadores são categóricos ao afirmar que a inovação que se deseja para as montanhas demanda uma ação transdisciplinar, considerando que esses ambientes sofrem a ação conjunta de diferentes setores, como agricultura, turismo, cultura e meio ambiente, o que requer um cuidado especial para que essa interação proporcione vantagens mútuas. “Este exercício, de observar a partir de um novo ponto de vista, não visa apenas a entender o movimento social que se desenha, mas também de atuar com essa estratégia nos diversos setores que possam apoiar a promoção do desenvolvimento sustentável em ambientes de montanha”, aponta o pesquisador da Embrapa Agrobiologia Renato Linhares.

Cooperação em rede

O objetivo da Rede Latino-Americana e Caribenha de Pesquisa e Inovação em Ambientes de Montanha é promover a circulação e a partilha de informações entre pesquisadores e instituições que se dedicam a temas transversais aos ambientes de montanha. “A formação dessas redes é importante na medida em que podem contribuir efetivamente para a construção de políticas públicas que beneficiem essas regiões”, acrescenta Claudia Delaia, analista da Embrapa Solos.

Com a realização do Lacmont 2021, o Núcleo de Pesquisa e Treinamento de Agricultores (NPTA), situado em Nova Friburgo e vinculado à Embrapa, confirma o seu protagonismo na discussão da temática das montanhas tanto no contexto brasileiro do desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação, quanto no cenário internacional, levando sua experiência agora para abranger América Latina e Caribe. São parceiros da Embrapa na realização deste encontro: Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo (Acianf); Associação das Montanhas Famosas do Mundo; instituto Crescente Fértil; Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio de Janeiro (Emater-Rio); Mountain Partnership, entidade vinculada à FAO; Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado do Rio de Janeiro (Faperj); Ecossistema de Inovação de Nova Friburgo (InovaFri); Prefeitura Municipal de Nova Friburgo; Universidade da Geórgia (EUA); e Universidade Federal do Ceará (UFC).

Informações mais detalhadas sobre o envio dos relatos de experiência e a programação podem ser encontradas no site do evento: https://www.lacmont2021.com.br

Serviço

I Encontro Internacional da Rede Latino-Americana e Caribenha de Pesquisa e Inovação em Ambientes de Montanha
Data: 11 a 13 de maio
Informações: http://www.lacmont2021.com.br



Fonte: Embrapa