Curitiba terá a primeira indústria de plástico biodegradável da América Latina

 

Na tarde desta terça-feira (27/7), os empresários curitibanos Kim Gurtensten e Emanuel Martins apresentaram ao prefeito Rafael Greca o conceito da primeira indústria biodegradável da América Latina. 

Instalada na CIC, a Earth Renewable Technologies (ERT) será inaugurada em 12 de agosto e é a primeira indústria do país a produzir plásticos a partir de polímeros biodegradáveis e compostáveis. Até 2025, serão investidos US$ 50 milhões, criando 160 empregos diretos. 

“Há um mundo novo nascendo e Curitiba tem uma participação ativa nesse novo cenário, Uma sacola plástica de polímero sintético logo será coisa do passado, já que leva impensáveis 500 anos para desaparecer na natureza. O plástico biodegradável dura só três meses”, comentou Greca.

A ERT surgiu há 12 anos como uma startup na Clemson University, na Carolina do Sul, nos Estados Unidos, e há dois anos iniciou uma pesquisa com a Universidade Federal do Paraná no desenvolvimento de polímeros fabricados a partir do bagaço da cana-de-açúcar. Atualmente, a produção utiliza a cana-de-açúcar inteira. 

“Queremos apresentar o conceito que foi implantado em Milão (Itália), onde a cidade passou a utilizar sacos compostáveis para o descarte do lixo orgânico. Lá, nós colaboramos para uma nova economia circular, onde o material final é o adubo”, relatou Gurtensten, presidente da ERT.

Para a secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza Dias, é muito importante incentivar essas iniciativas em Curitiba, promovendo alternativas mais sustentáveis para o mercado.

“O conceito da nossa empresa é completamente alinhado com Curitiba, que é referência nacional quando se fala em ecologia, reciclagem e sustentabilidade”, avalia Martins, diretor de operações da ERT.

Polímeros biodegradáveis

Esses polímeros são plásticos de base orgânica, feitos a partir de materiais renováveis, que oferecem a marcas de todos os segmentos a possibilidade de substituir suas embalagens tradicionais por outros recipientes plásticos para qualquer uso e em qualquer formato, mas tendo em comum o fato de serem totalmente funcionais, biodegradáveis e compostáveis.

O plástico comum leva de 400 a 500 anos para desaparecer, enquanto esse material biodegradável leva poucos meses.

A fibra foi patenteada como a primeira tecnologia capaz de modificar drasticamente a performance de biopolímeros e entregar aplicações antes desconhecidas para estes materiais. 

Também participou da reunião a administradora da Regional Matriz, Rafaela Lupion. 

Fonte: Prefeitura de Curitiba.

Leia mais notícias no Portal Defesa – Agência de Notícias.