Covid-19 tem leve estabilidade, mas patamar continua alto

De acordo com o Boletim Oficial da Secretaria de Saúde do Estado, desta segunda-feira (dia 19) MS est apresentando uma leve estabilidade na taxa de contágios que caiu para 1,5 nos últimos sete dias.

O Estado também ganhou alguns dias de alívio com a chegada de kits de intubação, no último sábado, que segundo o Secretário Geraldo Resende, deverá ajudar os hospitais de todo o MS por ao menos 10 dias. “Mas neste meio tempo outras remessas chegarão”, afirmou Resende, ressaltando que a remessa é fruto da visita feita ao Ministério da Saúde junto com o governador Reinaldo Azambuja.

Na data em que se comemora o Dia do Índio, Resende fez um apelo para que a população indígena procure os postos de saúde para se vacinar. “Importante que eles voltem também para tomar a segunda dose”, ressaltou.

Números desta segunda-feira


Boletim SES aqui

Conforme pontuou a secretária adjunta, Christine Maymone, ainda estamos num alto patamar de casos e mortes. O total de casos é 237.740 desde o início da pandemia. Nesta segunda-feira (19) mais 699 novos, média móvel de 1.075 nos últimos sete dias.

Mais 31 óbitos foram registrados em 17 municípios. O número de mortes sobe para 5.224 e a média móvel está em 45,4. Lembrando sempre que, nos finais de semana os números sempre apresentam defasagem em virtude do regime de plantão dos municípios.

As cinco cidades com maior registro de novas infecções são as seguintes: Campo Grande +279; Três Lagoas +123; Dourados +105; Corumbá +23 e Rio Brilhante com mais 18 novos casos.

As mortes foram registradas nos municípios de Campo Grande (8 perdas), Dourados e Naviraí (3), Corumbá, Itaporã e Sidrolândia (2). As demais cidades registram um óbito cada. São elas: Amambai, Antônio João, Bonito, Cassilândia, Chapadão do Sul, Itaquirai, Ivinhema, Ladário, Paranaíba, Ponta Porã e Sonora.

Ocupação hospitalar segue alta
O número de pessoas em isolamento domiciliar é de 11.560 pessoas. Seguem internados 1203 pacientes, desses 634 em leitos clínicos (398 públicos e 235 privados) e 569 em leitos de UTI (416 públicos e 153 privados).
A ocupação hospitalar das macrorregiões é a seguinte: Campo Grande 104%; Dourados 95%; Três Lagoas 94% e Corumbá 83%. Em todo o Estado cerca de 85 pacientes estão na fila de espera por um leito de hospital
Dos cinco municípios mais afetados pela doença, a capital continua em primeiro lugar com total de 91.778 casos. Em seguida vem a cidade de Dourados com 26,256; Três Lagoas 12,529; Corumbá 11.648 e Naviraí 6,511.

Theresa Hilcar, Subcom

Fonte: Governo do Mato Grosso do Sul