Corpo de Bombeiros realiza a 3ª fase da Operação Fênix 2021

Com o objetivo de combater incêndios florestais, o Corpo de Bombeiros Militar do Pará e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil realizaram, na última semana, a 3ª fase da Operação Fênix 2021, que visa reduzir o grande número desse tipo de ocorrência. De agosto de 2019 – quando ocorreu a primeira edição da operação – a março de 2021, o Pará registrou 37% dos focos de calor e desmatamento na região, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).Guarnição de Combate a Incêndios Florestais que atua na Operação Fênix

Em agosto deste ano, a atuação dos bombeiros militares foi determinante para a redução dos pontos de queimadas no território paraense. Foram realizadas 455 ações de prevenção e combatidos 908 focos de incêndios, segundo informações da Secretaria de Operações Integradas (Seop), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

Na terceira fase da “Fênix 2021”, as equipes se deslocaram aos municípios incluídos na operação: Paragominas, Parauapebas, Pacajá, São Félix do Xingu e Novo Progresso, estes considerados os principais epicentros de focos de calor no Estado.

Clima instável – A prioridade da Operação Fênix é a prevenção e o combate a incêndios florestais. No entanto, as Guarnições de Combate a Incêndios Florestais (GCIFs) se deparam com situações atípicas para o período, em virtude da instabilidade climática em São Félix do Xingu.Agentes do Corpo de Bombeiros e da Coordenadoria de Defesa Civil averiguando os estragos das fortes chuvas em São Félix

Na última quarta-feira (15), após chuva com fortes ventos, vários imóveis ficaram destelhados, outros desabaram e foram registradas quedas de muitas árvores. As Guarnições auxiliaram a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil no atendimento às famílias que tiveram suas residências avariadas. “Estaremos alocando nossos recursos materiais e humanos para auxiliar no planejamento da Prefeitura, e assim atender às famílias atingidas pelas chuvas”, informou o 2º tenente BM Rafael Mota, chefe de Operações e Planejamento da base São Félix.



Fonte: Agência Pará de Notícias