Começam os estudos de topografia na área da Usina da Paz no Guamá

O estudo sobre as características do terreno onde será construída a Usina da Paz no bairro do Guamá, localizado na Avenida Bernardo Sayão, próximo à Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém, já foi iniciado. O projeto é fruto do acordo de cooperação firmado entre o Governo do Estado e a Hydro em janeiro deste ano, e faz parte do Programa Territórios Pela Paz (TerPaz), coordenado pela Secretaria de Articulação da Cidadania (Seac), e visa diminuir a vulnerabilidade social e garantir maior segurança pública e cidadania em várias localidades.

A primeira etapa, que consiste nos estudos de topografia e sondagem do terreno, começou na manhã desta quarta-feira (09). As atividades estão seguindo todos os protocolos de saúde e segurança, de distanciamento social e de higienização, definidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no combate à Covid-19.

Estado permanente – Coordenadas pela Seac, as Usinas da Paz são prioritárias para o Governo do Pará, e consistem em grandes complexos públicos, construídos em áreas de aproximadamente 10 mil metros quadrados, com a finalidade de garantir a permanência do Estado nos Territórios, com ênfase na prevenção à violência, inclusão social e fortalecimento comunitário.

Para as Usinas foram definidos sete eixos fundamentais: 1. Capacitação técnica e profissional, educação básica, arte e cultura. 2. Emprego e renda, microcrédito e empreendedorismo, economia solidária. 3. Habitação, regularização fundiária e urbanização. 4. saúde, esporte/lazer, assistência social. 5. Tecnologia e inclusão digital. 6. Meio ambiente e sustentabilidade. 7. Mediação de conflitos e prevenção à violência.

Serão 10 Usinas da Paz construídas nos sete bairros da Região Metropolitana de Belém já atendidos pelo TerPaz e mais três na região sudeste, nos municípios de Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá. Os projetos são executados em parceria com as empresas Vale e Hydro, responsáveis pelo custo integral das obras, que após a conclusão serão entregues ao Estado, ao qual caberá a gestão, utilização e manutenção dos espaços. O governo não receberá nenhum recurso financeiro, apenas as Usinas já prontas e equipadas.

As UsiPaz terão complexos esportivos, salas de audiovisual, inclusão digital e vários serviços, como atendimento médico e odontológico, consultoria jurídica, emissão de documentos, ações de segurança, atividades profissionalizantes, espaço multiuso para feiras, eventos e encontros da comunidade. Também haverá espaços para cursos livres, dança, artes marciais, musicalização e biblioteca.

Além de democratizarem o acesso ao esporte, ao lazer e à produção cultural, essas atividades concretizarão a convivência comunitária e propiciarão a prestação de serviços pelas secretarias estaduais e demais órgãos governamentais envolvidos no TerPaz.



Fonte: Agência Pará de Notícias