Cientistas criam um novo tipo de vidro “dobrável”

Créditos: Interesting Engineering

Pesquisadores da Universidade McGill, localizada em Montreal, no Canadá, desenvolveram uma espécie de vidro mais resistente que as comuns em nosso dia a dia. Esta nova invenção foi inspirada na natureza e, ao invés de ser destruído, ele pode apenas ser “dobrado”.

A inspiração para o novo tipo de vidro veio a partir da camada interna das conchas dos moluscos, que foram observadas pelos pesquisadores e geraram essa ideia. Ao invés de estilhaçar com o impacto, o novo material tem a mesma resistência encontrado no plástico e, por esse motivo, não se destrói, apenas se dobra ou se estica.

O novo vidro “dobrável” pode ser usado para tornar ainda maior a resistência das telas de celulares no futuro, além de inúmeras outras áreas em que pode vir a ser aplicado.

Embora algumas técnicas, como a laminação, possam ajudar a reforçar o vidro, elas são caras e não funcionam mais quando a superfície é danificada. Segundo Allen Ehrlicher, professor do Departamento de Bioengenharia da Universidade McGill, o vidro recentemente inventado pelos pesquisadores da universidade possui uma alta resistência e não pode ser danificado tão facilmente.

Segundo Ehrlicher, “o novo material não é apenas três vezes mais resistente do que o vidro normal, mas também mais de cinco vezes mais resistente a danificações”. Ele ainda falou sobre a inspiração para a nova descoberta, que veio através da observação da natureza: “A natureza é mestre em design. Estudar a estrutura dos materiais biológicos e entender como eles funcionam oferece inspiração e, às vezes, projetos para novos materiais”.

O novo material é composto de vidro e acrílico, que imita a madrepérola. “Surpreendentemente, a madrepérola tem a resistência de um material bastante rígido e a durabilidade de um material macio, dando a ela essas duas vantagens”. Ele explica que “ela é feita de pedaços rígidos de uma matéria parecida com giz, que são cobertos por proteínas macias que são altamente elásticas. Esta estrutura produz uma resistência excepcional, tornando-a 3.000 vezes mais resistente do que os materiais que a compõem”.

Os cientistas utilizaram a estrutura da madrepérola para poder replicá-la com camadas de vidro e acrílico, produzindo o novo material, que é bastante forte, mas opaco. Segundo eles, este tipo de material pode ser produzido com facilidade e um baixo custo. Em seguida, os cientistas decidiram tornar o material transparente, ajustando o índice de refração do acrílico e misturando-o ao vidro, para criar o novo modelo de vidro inquebrável.

Nos próximos estudos, eles planejam melhorar ainda mais o material, incorporando tecnologia inteligente, permitindo que o vidro mude suas propriedades, como sua cor e condutividade.