Cientistas criam nova pílula capaz de combater a diabetes

Créditos: Chicago Tribune

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Yale desenvolveu um novo medicamento para a diabetes tipo 1, o qual, segundo eles, pode ser capaz de oferecer uma nova forma de combate à doença.

Durante uma série de experimentos feitos em ratos de laboratório, os cientistas revelaram que o medicamento, que é ingerido via oral, não apenas ajustou de forma bastante rápida os níveis de insulina dos animais, como também restaurou as funções do metabolismo dos pacientes e reverteu os efeitos inflamatórios da doença, cumprindo sua função no tratamento do diabetes tipo 1, que afeta cerca de milhões de pessoas ao redor do mundo.

O diabetes tipo 1 é uma doença em que o sistema imunológico ataca e destrói as células produtoras de insulina no pâncreas, fazendo com que o açúcar se acumule na corrente sanguínea do indivíduo e os níveis de açúcar no sangue aumentem.

Infelizmente, ainda não há uma cura, no entanto, vários cientistas estão trabalhando para isto. Até o momento, novos medicamentos que buscam tratar a doença estão sendo o foco das pesquisas feitas em diversas universidades ao redor do mundo.

Muitos pacientes com diabetes precisam tomar injeções de insulina todos os dias pelo resto de suas vidas, pois não têm acesso a tecnologias médicas mais avançadas, entretanto, ingerir uma pílula via oral seria uma forma de combater a doença muito mais simples.

Por outro lado, os pesquisadores que desenvolveram a nova pílula revelaram que o processo de criação deste medicamento foi lento e complicado, uma vez que a insulina é destruída no estômago antes de chegar à corrente sanguínea.

Após muitos testes e um longo período de estudos, o medicamento foi desenvolvido por Tarek Fahmy, professor de engenharia biomédica e de imunobiologia na Universidade de Yale. De acordo com o estudo publicado na revista científica Nature Biomedical Engineering nesta semana, o medicamento oferece duas vantagens principais para o tratamento da diabetes.

Em primeiro lugar, tendo em vista que pode ser tomado via oral, é consideravelmente mais fácil para o paciente se atentar ao seu tratamento. Além disso, a pílula ajuda a controlar os níveis de glicose no sangue, restaurando a função do pâncreas dos pacientes e restabelecendo a imunidade destes indivíduos.

Resultados de sucesso também puderam ser observados em testes realizados com porcos, no entanto, a equipe de pesquisadores revelou que novos estudos serão necessários para determinar se os humanos também poderiam se beneficiar deste medicamento.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário