China cria computador quântico 1 milhão de vezes mais potente que o Google

Créditos: Tecno Insider

Segundo seus criadores, o novo computador quântico desenvolvido pela China tem 1 milhão de vezes o poder do supercomputador da Google.

Uma equipe de físicos chineses afirma que construiu dois computadores quânticos com velocidades de desempenho capazes de disputar com a máquina Sycamore, criada pela companhia Google.

Conforme a equipe revelou, a máquina é a mais rápida do mundo e utiliza um sistema baseado em fótons de luz para obter resultados de forma bastante veloz. As informações sobre o novo computador foram reveladas através de um estudo recente publicado nas revistas científicas Physical Review Letters e Science Bulletin.

Outro supercomputador chinês, chamado Jiuzhang 2, é capaz de calcular, levando apenas um único milissegundo, uma tarefa que o computador comum mais rápido do mundo levaria 30 trilhões de anos para calcular. O Jiuzhang 2 é um computador quântico que funciona a base de luz, tem menos aplicativos, mas pode funcionar a uma velocidade 100 sextilhões de vezes mais rápida do que os melhores computadores comuns encontrados atualmente.

No entanto, o novo supercomputador desenvolvido pela equipe de pesquisadores recebe o nome de Zuchongzhi 2 e é uma versão aprimorada de uma máquina anterior que havia sido concluída há três meses.

O cientista Pan Jianwei, professor da Universidade de Ciência e Tecnologia da China e principal pesquisador dos estudos sobre o novo supercomputador publicados nas revistas científicas Physical Review Letters e Science Bulletin disse que Zuchongzhi 2 que é um computador quântico 10 milhões de vezes mais rápido que o Sycamore, o supercomputador criado pela Google.

Isso significa que a nova máquina da China é a mais rápida do mundo e a primeira a superar a capacidade da supermáquina criada pela Google.

No entanto, embora os recursos dessas novas máquinas indiquem uma revolução no ramo da computação, elas não chegarão ao mercado tão cedo. Além disso, as equipes envolvidas na criação de ambos os supercomputadores revelaram que elas só podem ser utilizadas para tarefas muito específicas.

Ainda assim, mesmo com um cuidado especial por parte da equipe que os utiliza, os supercomputadores podem cometer vários erros.

Pan Jianwei afirmou que o próximo passo da equipe é procurar formas de solucionar os erros cometidos pelo supercomputador, evitando que os resultados errados sejam obtidos novamente: “Na próxima etapa, esperamos alcançar a correção dos erros, levando quatro a cinco anos de trabalho duro”.

Ele informa que, com base na tecnologia de correção dos erros cometidos por essas supermáquinas, a equipe poderá utilizar os computadores quânticos para resolver algumas das questões científicas mais importantes da atualidade.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário