Ceped da Uerj prepara segunda turma de curso de advocacia criminal


Com matrículas abertas até o dia 10 de setembro, o curso de pós-graduação em Advocacia Criminal do Centro de Estudos e Pesquisas no Ensino do Direito (Ceped) da Uerj – parceria com a OABRJ – prepara sua segunda turma, após uma bem-sucedida experiência, e oferece a cerca de 60 alunos, ferramentas para concorrer no disputado mercado de trabalho da área. 

“Desta vez o curso será inteiramente online, de maneira síncrona”, conta o professor Rafael Borges, um dos coordenadores do curso, ao lado de Diogo José da Silva Flora, Rafael Fagundes Pinto e do ex-governador do Rio e ex-presidente da OABRJ, Nilo Batista. “Esse é um curso para formar advogados criminais para o mercado e os alunos são colocados em contato com os maiores profissionais do país”. 

De acordo com o presidente da Seccional, Luciano Bandeira, a capacitação continuada sempre foi e continuará sendo um dos principais campos de atuação da gestão. “O sucesso dessa parceria com uma instituição do porte da Uerj e com nomes do calibre do professor Nilo Batista só nos dá a certeza de que estamos no caminho certo”, destacou.

Segundo Borges – que também é presidente da Comissão de Segurança Pública da Seccional –  um dos principais desafios percebidos pelos coordenadores do curso está na dificuldade de acompanhar as constantes atualizações da legislação brasileira.  

“O Brasil sofre com a inflação legislativa, e muitas vezes os advogados não são capazes de se manter atualizados, além de não dispor de ferramentas teóricas para dispor com a advocacia criminal contemporânea que é hiper-especializada”, afirma o professor. “O cenário atual não comporta mais o generalista que entende um pouco de tudo. Há uma necessidade cada vez maior de especializações e superespecializações”. 

“Nossa pretensão é fazer com que a OAB federal produza uma notação na carteira do advogado que conclua esse curso ou qualquer curso de especialização que as seccionais realizem em parceria com universidades públicas”, afirma o coordenador. “Essa seria uma maneira soberana da Ordem se inserir na problemática da falta de especialização que ainda atinge diversos advogados e clientes”.  

O curso – com duração de 18 meses, e alinhado às políticas de cotas raciais e sociais das universidades públicas – conta com um conteúdo de 22 disciplinas e eventos, e um corpo docente que inclui nomes ilustres como Alberto Zacharias Toron, Luciana Boiteux, Antônio Carlos de Almeida Castro, Flávia Rahal e Juarez Cirino dos Santos. As aulas acontecem às terças e quintas, das 18h às 21h.

Para mais informações, visite o site aqui

Fonte: OAB-RJ

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário