Astrônomos descobrem um sinal de rádio desconhecido na Via Láctea

Créditos: Mega Curioso

Nas planícies da Austrália Ocidental, em meio às terras pertencentes ao povo Wajarri Yamatji, pode ser encontrado um dos radiotelescópios mais potentes do mundo. O aparelho contém 36 antenas parabólicas e é chamado de Australian Square Kilometer Array Pathfinder, ou, de forma mais simples, ASKAP.

O dispositivo, com suas 36 antenas, é responsável por ficar atento às ondas de rádio que chegam até o planeta Terra. Nos últimos dois anos, as antenas apontaram, algumas vezes, para o coração da Via Láctea. Nessa ocasião, elas detectaram um sinal de rádio bastante incomum.

Este sinal, segundo os cientistas que monitoram o dispositivo, não pertence a nenhum objeto conhecido em toda a galáxia. A detecção deste sinal foi notícia no Astrophysical Journal, uma revista científica que relatou, em 12 de outubro, mais detalhes sobre o misterioso sinal. 

O nome do sinal estranho é complicado, sendo chamado de ASKAP J173608.2-321635. Entre abril de 2019 e agosto de 2020, este mesmo sinal foi avistado 13 vezes, mas sem apresentar qualquer padrão entre as vezes que era captado.

Ele exibe uma série de características que o tornam bastante diferente de outras fontes de rádio vindas da Via Láctea. Segundo Tara Murphy, astrofísica da Universidade de Sydney e uma das autoras do artigo publicado no Astrophysical Journal sobre o fenômeno: “Este sinal começou de forma invisível, tornou-se brilhante, desapareceu e então reapareceu”. Em seu comunicado, ela afirmou que o comportamento do sinal é considerado extraordinário.

Originalmente, a equipe de estudiosos pensava que o sinal de rádio poderia estar sendo emanado de um pulsar, uma espécie de estrela de nêutrons que é bastante densa e que emite radiação eletromagnética enquanto gira de forma rápida no espaço. A equipe, então, seguiu à procura do possível pulsar, utilizando um potente telescópio, mas não encontrou nada.

A equipe ainda utilizou alguns outros equipamentos, como outros radiotelescópios, mas nenhuma conclusão sobre a origem do sinal foi feita pelos astrofísicos responsável pela investigação.

Um dos membros da equipe, Ziteng Wang, estudante de doutorado da Universidade de Sydney, não descartou a possibilidade de que o sinal esteja sendo emitido por um grupo de objetos conhecido como “transientes de rádio”, que também são um mistério para os astrônomos.

No entanto, Wang também informou que nenhuma conclusão ainda pode ser feita sobre a origem deste sinal e que, ao longo das próximas pesquisas, há esperança de que novas informações sobre o misterioso sinal sejam obtidas.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário