Artigo do governador: Comida na Mesa

  • Artigo do governador Flávio Dino

O período de pandemia da Covid-19 tem destacado e ampliado graves problemas sociais em todo o Brasil. Diante de tal quadro, é imprescindível aumentar ao máximo possível os investimentos públicos em políticas sociais e obras, inclusive para possibilitar que o setor privado siga funcionando. Adotar esse caminho e ter a coragem de percorrê-lo depende de capacidade de planejamento mas, acima de tudo, de ter bons sentimentos.

Lembro-me dos preciosos ensinamentos de Jesus por meio da Parábola do Bom Samaritano (Lc 10:25-37), quando diz: ‘Ame o Senhor, o seu Deus… e Ame o seu próximo como a si mesmo’. Para expressar o amor pelo próximo, Cristo relata a história de um samaritano que resgatou um homem a quem não conhecia, cuidou e se compadeceu dele. É uma clara ordenança acerca de sentimentos que o Brasil mais está carente hoje: compaixão, misericórdia e amor. Enquanto ultrapassa-se o número de 350 mil mortes por coronavírus no país, há falta de insumos para produção de mais vacinas, não há um plano nacional de retomada econômica nem orçamento federal, e milhares de lares não têm comida na mesa. É inaceitável o que estamos vivenciando.

Com muita determinação de governar com responsabilidade social, temos executado ações urgentes no Maranhão, que alcançam com benefícios diretos a população que mais precisa. Esta semana, demos início ao Plano Comida na Mesa, que conta com investimento total de R$ 180 milhões aplicados em iniciativas integradas, contemplando desde a produção de alimentos até a garantia de segurança alimentar da nossa população.

Por meio do “Comida na Mesa”, vamos ampliar a rede estadual de Restaurantes Populares, que proporcionalmente já é a maior do Brasil, com 55 unidades em todas as regiões do estado, servindo refeições diariamente a famílias inteiras, inclusive jantar em todos os restaurantes. Esse novo serviço começará nesta segunda-feira, com o preço simbólico de R$ 1 para cada usuário, com a meta de 15.000 a 20.000 refeições todas as noites.

Também aumentamos o apoio à produção do campo, gerando renda com a aquisição de alimentos oriundos da agricultura familiar a partir dos programas de acesso a mercados institucionais, a exemplo do Programa de Compras da Agricultura Familiar (Procaf). Os produtos alimentícios adquiridos serão doados para utilização em hospitais, creches, bancos de alimentos e irão compor as milhares de cestas básicas que têm sido distribuídas no estado para a população em maior vulnerabilidade. Até o momento, já superamos 400 mil cestas básicas entregues de casa em casa pelo Corpo de Bombeiros do Maranhão, a quem agradeço por todo o empenho nessa nobre missão.

De forma complementar, atuaremos, ainda, na concessão de tratores e demais equipamentos para a agricultura familiar, a fim de impulsionar a capacidade produtiva do campo, ampliando as oportunidades de renda e a oferta de alimentos para as compras institucionais. Destaco que o Plano Comida na Mesa será integrado ao Programa Vale-Gás, que lançamos para auxiliar 115 mil famílias maranhenses de baixa renda na aquisição do gás de cozinha nos próximos meses.

Políticas de segurança alimentar salvam vidas. Por isso, o nosso esforço tem visado suplantar as difíceis consequências da crise multidimensional que se estabelece no Brasil, especialmente garantindo o direito básico de comida na mesa para as famílias maranhenses, enquanto reforçamos as medidas sanitárias, ampliamos nossa rede hospitalar de atendimento e lutamos por mais vacinas. Cuidando de quem mais precisa, seguimos fortes nessa batalha. E vamos vencer!


“Ele respondeu: ‘Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento’ e ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’.” Lucas‬ ‭10:27

Comentários

Comentários

Fonte: Governo do Maranhão