Aparecida sedia encontro de Comércio Exterior e discute inovação para empresas e indústrias

Foto: Claudivino Antunes

Aparecida de Goiânia, com vocação industrial e empresarial, recebeu nesta quinta-feira, 25, o 8° Encontro Internacional de Comércio Exterior (EICE), no Anfiteatro Municipal Cantor Leandro. O evento reuniu, de forma presencial e online, mais de 500 empresários e investidores, especialistas do comércio exterior e representantes diplomáticos, com objetivo de incentivar a internacionalização das empresas e indústrias para competitividade na exportação e crescimento econômico.

Promovido pela Prefeitura de Aparecida e Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), contou com a presença do prefeito Gustavo Mendanha, do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, do gerente de Estratégias do Sebrae Goiás, Francisco Lima, o presidente da Câmara Municipal, André Fortaleza, presidente da Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia (Aciag), Leopoldo Moreira, e várias autoridades e lideranças empresariais.

Durante apresentação, o prefeito Gustavo Mendanha destacou as potencialidades do município que tem vocação industrial e empresarial. “Aparecida se internacionalizou nos últimos anos e por isso buscamos sempre um contato direto com empresas. Nós temos uma localização logística estratégica, com uma agenda permanente de desburocratização, facilidades para que empresas que aqui se instalarem tenham a garantia de que seus negócios vão prosperar e obviamente gerando receita, oportunidade de trabalho e grandes negócios”, pontou o gestor municipal.  

O empresário Arthur Igreja, pós-MBA em Negociação Empresarial pela FGV e autor do livro ”Conveniência é o nome do Negócio”, ministrou uma palestra com o tema “Inovar para Internacionalizar”. O especialista ressalta que é preciso inovar para investir no comércio exterior e o Brasil tem que mostrar suas potencialidades para o mundo.

“A competividade e produtividade a nível global estão muito altas e o Brasil precisa correr para gerar valor agregado, para se tornar atrativo e competitivo. O desafio no Brasil é exatamente esse: capacitar as pessoas, criar esse ambiente de negócio e expor o país para o mundo. Tem muita coisa boa aqui para se comercializar para além do agronegócio e esse evento traz uma pauta riquíssima num momento de retomada e coloca na cabeça do empresário um ânimo muito bom para 2022. O mercado internacional tem oportunidades incríveis e precisamos mostrar que isso é acessível, ou seja, não está disponível só para grandes empresas. Portanto, para todos os setores há oportunidades”, afirmou o especialista.

O presidente da Fieg, Sandro Mabel, destacou em sua participação online, que a exportação é uma cultura que precisa ser estimulada. “Este evento é para sensibilizar investidores para atuar no mercado externo como uma estratégia de negócio, de penetração de mercado. O evento acontece em Aparecida de Goiânia justamente porque a cidade tem muitas empresas com potencial exportador. E exportar é uma cultura que precisa ser cada vez mais cultivada. Precisamos romper fronteiras e otimizar o comércio internacional. Queremos estimular para que Goiás não fique exportando apenas grãos e minérios, mas produtos acabados, criativos, de valor agregado”, afirmou.

Para o presidente do Conselho Temático do Comércio Exterior da Fieg, Emílio Bittar, o evento irá ajudar o empresário e industrial a otimizar seus negócios, investindo no comércio exterior. “Este evento mostra o quão importante é o mercado internacional para as empresas brasileiras e principalmente de Aparecida, que tem um dos polos industriais mais fortes do Brasil. A cidade tem uma vocação exportadora ainda muito pequena e nós queremos mostrar que o comércio exterior hoje permite que você negocie com todos os países. E esse encontro traz as ferramentas, as facilidades e inclusive pessoas capacitadas para levar os produtos goianos até o consumidor internacional.

O gerente de Estratégias do Sebrae Goiás, Francisco Lima, destacou que o mercado internacional também oferece um ambiente de produtividade e negócios para as micro e pequenas empresas. Segundo ele, é preciso analisar as potencialidades para fazer investimentos. “Quando olhamos para o universo das micro e pequenas empresas com um mercado consumidor interno muito grande, as vezes as empresas não levam em consideração o mercado internacional, mas é uma grande oportunidade de conhecer e saber quais são as potencialidades, onde estão os consumidores que possuem interesse nos produtos brasileiros para que as empresas tenham essa opção de um mercado”, pontuou.

O diretor-executivo da Câmara de Comércio Brasil-Canadá, Paulo de Castro, afirmou na oportunidade que o Canadá, na América do Norte, oferece oportunidades para os produtos brasileiros. “Uma série de produtos que produzimos tanto na indústria farmacêutica como no agro podem ser consumidos no mercado canadense. No caso do agronegócio nós vemos as grandes comoditties com um grande espaço, mas também produtos regionais específicos, as vezes até de pequenos e médios produtores que tenham uma história ligada a sustentabilidade, produtos orgânicos e com sabores brasileiros e regionais que levantam o interesse do consumidor canadense”, explicou.

Embaixadas

Durante o Seminário das Embaixadas “Investindo e Fazendo Negócios com Aparecida de Goiânia e o Estado de Goiás”, o prefeito Gustavo Mendanha apresentou por meio de conferência virtual as potencialidades econômicas do município a 20 países do mundo. Participaram do seminário as embaixadas da Alemanha, Austrália, Bélgica, Chile, Equador, Espanha, Estados Unidos, França, Hungria, Índia, Itália, Suíça, Turquia, Marrocos, México, Palestina, Paraguai, Portugal, Rússia e Singapura. Participaram do seminário o presidente do Conselho Temático do Comércio Exterior da Fieg, Emílio Bittar, e a coordenadora do Centro Internacional de Negócios de Goiás (CIN), Johanna Guevara.

“Aparecida é uma cidade onde as empresas que aqui produzem tem facilidade de fazer o escoamento da produção a todas regiões do Brasil. Nossa cidade cresceu muito nos últimos anos justamente pelas parcerias que temos feito, pelos incentivos fiscais e outros serviços essenciais. Temos tido diálogo com os empresários e construído uma agenda permanente de parceiras no sentido de gerar resultado, emprego, oportunidades e qualidade de vida para as pessoas. E queremos mostrar para o mundo o que temos de melhor e as potencialidades dos nossos polos. E, claro, Aparecida está de portas abertas para aqueles que desejam fazer investimentos e ampliar os seus negócios”, concluiu.  



Fonte: Prefeitura Municipal de Aparecida de Goiânia.

Leia mais notícias no Portal Defesa – Agência de Notícias.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário