Anderson Torres destaca atuação do Ministério da Justiça e Segurança Pública no combate a incêndios e crimes ambientais

Brasília, 31/08/2021 – O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, destacou nesta terça-feira (31), a atuação do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) na prevenção e no combate a incêndios florestais e crimes ambientais no país.

Entre as ações do Ministério está a Operação Guardiões do Bioma, lançada em julho deste ano, para atuar na prevenção, na repressão e na investigação de casos relacionados a queimadas e outros crimes ambientais nos biomas Amazônia, Cerrado e Pantanal.

O ministro também afirmou que a Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Funai e Força Nacional de Segurança Pública estão atuando de forma integrada com os órgãos de fiscalização do país.

“Essa atuação conjunta na nossa visão é a mais correta e eficaz para a atingirmos os resultados que tanto esperamos, que é a diminuição dos crimes ambientais, do desmatamento, do crime organizado que atua por trás de tudo isso e das queimadas”, afirmou Anderson Torres.

Anderson Torres destaca atuação do Ministério da Justiça e Segurança Pública no combate a incêndios e crimes ambientais.png

As declarações foram dadas durante pronunciamento no Palácio do Planalto com a presença do ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, e o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite.

“Recrutamos 6 mil profissionais, a maioria bombeiros de carreira, para atuar nessas áreas durante o período de queimadas. Também atuamos com a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Fundação Nacional do Índio (Funai), a Força Nacional e todo o nosso aparato para repreender os crimes ambientais e queimadas. Desse modo, serão integradas as polícias, demais forças de segurança e órgãos oficiais”, destacou o ministro.

Atualmente, Força Nacional também realiza 15 operações de repressão a ações criminosas na Amazônia Legal, operando de forma alinhada com o ICMBio e a Funai. O Ministério investiu R$ 49 milhões no Programa Brasil MAIS na aquisição do Programa Brasil MAIS, com imagens de satélite em alta resolução para apoiar as operações.

O ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, afirmou que o governo vai contratar 700 novos servidores para atuar na fiscalização ambiental.  

“Vamos agir de forma contundente para zerar o desmatamento ilegal até 2030, conforme o compromisso feito perante o acordo do clima. Nosso compromisso é realizar o máximo de esforços contra os crimes ambientais”, observou Leite.



Fonte: Ministério da Justiça e Segurança Pública