Ampliação da ponte sobre o rio Poxim beneficia a mobilidade urbana de Aracaju

A Prefeitura de Aracaju tem atuado para adaptar a capital sergipana ao ritmo de desenvolvimento e crescimento populacional. Neste sentido, iniciou o projeto de ampliação da ponte Juscelino Kubitscheck, sobre o rio Poxim, no bairro Farolândia. Executada pela Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), a obra vai ampliar a ponte nos dois sentidos da avenida Beira Mar e garantir ainda mais fluidez e segurança ao trânsito.

Para a execução desta obra, a Prefeitura está investindo pouco mais de R$17,5 milhões, a partir de um financiamento celebrado com a Caixa Econômica Federal, por meio do programa Pró-Transporte. 

“Começamos a trabalhar no lado da ponte no sentido praia-Centro. No período aproximado de dois meses, vamos colocar 24 estacas de 80 cm de diâmetro e 45 m de profundidade, que vão servir de sustentação da fundação da ponte”, explica o secretário municipal da Infraestrutura e presidente da Emurb, Sérgio Ferrari.

Parte integrante do Projeto de Mobilidade Urbana, que já requalificou quatro dos principais corredores de transporte da cidade (Beira Mar, Augusto Franco, Centro/Jardins e Hermes Fontes) e, ainda, atua sobre a reforma e construção de terminais de integração, a ampliação da ponte vai garantir ainda mais fluidez e segurança no trânsito. 

A obra faz parte, também, do Planejamento Estratégico 2021-2024, e objetiva cumprir não apenas o papel social, sustentável, de desenvolvimento, mas de geração de emprego, renda e progresso para Aracaju.

A ponte sobre o Rio Poxim possui 160 m de extensão e as intervenções em seus dois lados serão distintas. Em ambos, será construída uma nova pista de rolamento, com 4 m de largura cada. No sentido Centro-praia, será implantada uma pista para pedestres, uma vez que, no sentido oposto, já existe pista para pedestre e ciclovia.

 

Alargamento

A partir da conclusão desta obra, a ponte sobre o Rio Poxim passará a ter três faixas, já que atualmente possui apenas duas para cada sentido, representando um afunilamento no trânsito da via, que pode causar congestionamentos e até acidentes.

De acordo com Ferrari, quando construída, em 1958, a ponte representava um marco para a mobilidade urbana de Aracaju. Agora, ela precisa se adaptar à cidade que, a cada dia, está se modernizando, crescendo e, portanto, carece de espaços projetados de forma inteligente e adequados à nova realidade. 

“Hoje, há um estrangulamento muito sério naquele trecho e esse alargamento da ponte vai representar uma grande melhoria na velocidade da circulação dos ônibus e na fluidez do trânsito. É uma obra sofisticada e que possui complexidade de engenharia”, destaca o gestor.

Para a execução da obra, serão utilizadas 438 toneladas de aço e mais de 3.000 m³ de concreto. Quando concluída, a nova ponte terá três faixas de pista de rolamento em cada sentido, com 12 m de largura cada, uma ciclovia e duas pistas para pedestres e vai beneficiar a acessibilidade do local, oferecendo mais segurança e conforto aos usuários. 



Fonte: Prefeitura de Aracajú.

Leia mais notícias no Portal Defesa – Agência de Notícias.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário