Acusado de assédio sexual, governador de NY reconhece comportamento visto como ‘flerte’

Em um comunicado divulgado neste domingo (28), o político democrata afirmou que nunca tocou ou fez propostas inapropriadas a ninguém, mas reconheceu que provocou as pessoas e fez brincadeiras sobre suas vidas pessoais em uma tentativa de ser “amistoso”.

“Agora entendo que minhas interações podem ter sido insensíveis ou muito pessoais e que alguns dos meus comentários, dada a minha posição, fizeram os outros se sentirem de maneiras que eu nunca planejei. Reconheço que algumas das coisas que disse foram mal interpretadas como um flerte indesejado. Na medida em que alguém se sentiu assim, eu realmente sinto muito por isso”, se desculpou o governador.

Urgente: Andrew Cuomo emite um novo comunicado. “Reconheço que algumas das coisas que disse foram mal interpretadas como um flerte indesejado. Na medida em que alguém se sentiu assim, eu realmente sinto muito por isso.”

Segundo a Associated Press, no final do dia, Cuomo concordou com as demandas para que a procuradora-geral Letitia James assumisse o inquérito sobre as alegações de que ele teria assediado sexualmente pelo menos duas mulheres que trabalhavam em sua administração.

James disse que esperava receber uma referência formal que daria a seu escritório poder de intimação e permitiria que ela contratasse um escritório de advocacia externo e delegasse ao mesmo “uma investigação rigorosa e independente“.

Os pedidos para uma investigação sobre o comportamento de Cuomo no local de trabalho se intensificaram depois que uma segunda ex-funcionária de sua administração foi a público no sábado (27), alegando que havia sido assediada.

Charlotte Bennett, uma assessora de baixo escalão da administração do governador até novembro, disse ao The New York Times que Cuomo fez perguntas inadequadas sobre sua vida sexual, incluindo se ela já fez sexo com homens mais velhos, e outros comentários que ela interpretou como se o governador estivesse avaliando seu interesse em manter um caso com ele.

A acusação de Bennett chega depois que outra ex-assessora, Lindsey Boylan, ex-secretária adjunta para o desenvolvimento econômico e conselheira especial do governador, acusou Cuomo de assédio em dezembro. Segundo Boylan, Cuomo a sujeitou a um beijo indesejado e fez comentários inadequados sobre sua aparência.



Fonte: Sputnik News