A primeira estação espacial comercial deve ser construída até o ano de 2027

Créditos: TEG6

Segundo um comunicado feito pelas empresas do ramo de serviços espaciais Nanoracks, Voyager Space e Lockheed Martin, a primeira estação espacial comercial do mundo deverá ser finalizada e estar pronta para funcionamento até 2027.

Estas três empresas anunciaram, por meio de uma nota divulgada à imprensa, que pretendem construir a primeira estação espacial comercial dentro dos próximos 6 anos como parte de uma colaboração firmada com a NASA.

A estação espacial, que será chamada de Starlab, será usada para conduzir pesquisas importantes, assim como para fins de turismo e outras atividades comerciais e envolvendo negociações. As empresas também explicaram que a estação estará em modo de “voo livre” na órbita do planeta, o que significa que ela não ficará “travada” em apenas uma posição na órbita.

De acordo com a página da Starlab no site oficial da empresa Nanoracks, a estação espacial contará com um módulo de aproximadamente 340 metros cúbicos de volume, que oferecerá capacidade para, no máximo, quatro pessoas, além de contar com um laboratório.

A notícia chega no momento em que a Estação Espacial Internacional se aproxima do fim de seu ciclo de vida. Os acordos internacionais sobre o funcionamento da Estação Espacial Internacional expirarão em menos de três anos, em 2024, e a Rússia deu a entender que não pode renovar seus acordos com os EUA, pois planeja construir sua própria estação espacial até 2025.

Embora o Starlab não seja um substituto à altura da Estação Espacial Internacional, as empresas por trás de seu desenvolvimento afirmam que ela estará de acordo com a recente tendência apresentada pela NASA por colaborações com empresas privadas, como foi o caso de sua parceria com a famosa SpaceX, que rendeu bons resultados e avanços no ramo da tecnologia espacial, como foi o caso dos lançamentos tripulados até a Estação Espacial Internacional no ano passado, feito pela primeira vez em quase uma década.

A companhia Nanoracks também explicou que, por ser um de seus clientes, a NASA receberá um volume de pesquisa comparável ao obtido pela Estação Espacial Internacional, mas com custos operacionais significativamente mais baixos. Isso permite que a NASA possa investir ainda mais em missões à Lua, Marte e outros planetas.

No entanto, a Nanoracks, a Voyager Space e a Lockheed Martin não são as únicas empresas que pretendem enviar estações espaciais privadas para a órbita da Terra no futuro.  A Blue Origin, criada por Jeff Bezos, é uma das companhias que também possui este objetivo em mente para os próximos anos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário