Tanques leves SK-105 dos Fuzileiros Navais estão fora de operação

Segundo uma fonte, toda a frota de carros de combate leves SK-105A2S Kürassier do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) está parada e por isso nenhum tanque participou da Operação Formosa deste ano. Vários sistemas não estão operacionais e já se fala na compra com urgência de novas viaturas.

As peças de artilharia Light Gun 105 mm também estão com deficiência operacional, com várias inoperantes.

Em agosto de 2016 o Jane’s tinha noticiado que Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) da Marinha do Brasil estava considerando upgrades para seus tanques leves SK-105A2S Kürassier, e a compra de veículos blindados 4×4 e 6×6.

Projetos de modernização dos tanques e a obtenção de veículos blindados sobre rodas estavam atualmente passando por uma fase de estudo e uma análise do conceito e do orçamento de viabilidade, segundo um porta-voz da Marinha na época.

Os projetos integram o Programa de Consolidação da Brigada Anfíbia no Rio de Janeiro (PROBANF), que visa aumentar o poder de fogo, a capacidade expedicionária, mobilidade e de proteção dos fuzileiros.

Dezessete tanques e um veículo de recuperação 4KH7FA Greif foram recebidas pelo CFN da Steyr-Daimler-Puch Spezialfahrzeug (agora parte da General Dynamics European Land Systems) em 2001, após a aquisição em 1998.

O SK-105 pode ser considerado como um carro de combate leve ou “caça tanques”. Sua missão principal é destruir tanques inimigos no campo de batalha e para poder cumprir sua missão, ele é armado com um canhão de origem francesa 105G1 em calibre 105 mm capaz de disparar munição “flecha” APFSDS (perfurante de blindagem), HEAT (alto explosivo anticarro), HE (alto explosivo) e munição de treino.

FONTE: Forças Terrestres