Argentina protesta contra exercícios militares do Reino Unido nas Malvinas

A Argentina comunicou no dia 9 de outubro um protesto à embaixada do Reino Unido contra a futura realização de manobras militares na área das ilhas Malvinas, cuja soberania está nas mãos britânicas, mas é reivindicada pelo país sul-americano.

O Ministério das Relações Exteriores argentino disse ter tomado conhecimento que o Reino Unido fará entre 15 e 29 de outubro exercícios militares que incluirão o lançamento de mísseis, por isso “protestou formalmente” e afirmou que notificará a situação ao secretário-geral da ONU e ao da Organização Marítima Internacional.

Além disso, avisou que “em meio às obrigações e responsabilidades em matéria de segurança da navegação”, o Serviço de Hidrografia Naval argentina emitirá um aviso informando sobre o desenvolvimento do exercício.

A Argentina “rejeita a realização dessas manobras em território argentino ilegitimamente ocupado”, já que desconhece as resoluções internacionais “que instam a retomar as negociações a fim de encontrar uma solução pacífica e definitiva à disputa de soberania, assim como a abster-se de realizar atos unilaterais nos territórios e espaços marítimos sob disputa”.

O Reino Unido conquistou as ilhas em 1833, e desde esse momento a Argentina reivindica a titularidade das ilhas. Em 1982, ambos os países se enfrentaram em uma guerra depois que os militares que governavam a Argentina resolveram desembarcar nas ilhas em 2 de abril.

O conflito, que terminou dois meses depois com a rendição da Argentina, deixou 649 argentinos, 255 britânicos e três nativos mortos.

FONTE: UOL/EFE / Poder Naval