NPqHo Vital de Oliveira estuda concentração de microplásticos no Atlântico Sul

Desde 13 de setembro, quando desatracou do Rio de Janeiro-RJ, o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico (NPqHo) “Vital de Oliveira” tem coletado dados no Atlântico Sul para a produção de informações ambientais (oceanográficas e meteorológicas) em apoio ao Projeto PIRATA (Prediction and Research Moored Array in the Tropical Atlantic).

Uma importante linha de pesquisa que vem sendo desenvolvida é a coleta de microplásticos com rede de arrasto, permitindo estudar mais detalhadamente a concentração no oceano dessas pequenas partículas de plástico (menor que 5 mm) oriundas da fragmentação de plásticos descartados inadequadamente.

Estudos científicos anteriores concluíram que os microplásticos encontrados no oceano funcionam como “esponjas” de contaminantes químicos altamente nocivos e podem causar disfunções hormonais e reprodutivas nos animais marinhos que os ingerem e, consequentemente, em humanos, visto que se propaga ao longo da teia trófica marinha, chegando à mesa dos nossos lares.

Na presente Comissão, também estão sendo realizadas estações oceanográficas com CTD (Conductivity, Temperature and Depth), chegando a 10m do fundo marinho; aquisição de dados de corrente com ADCP (Acoustic Doppler Current Profiler); concentração de CO2 com Underway pCO2; temperatura e salinidade da superfície do oceano com termossalinógrafo; lançamento de boias de deriva; medição das condições atmosféricas com radiossondas; sondagem batimétrica com os ecobatímetros multifeixe EM 710 e EM 122; perfilagem do subfundo marinho com perfilador SBP 120; e medição do campo gravimétrico terrestre com o gravímetro Marine Gravity System (MGS-6).

FONTE: Marinha do Brasil / Poder Naval