EUA teriam roubado tecnologias dos S-300, aponta ex-diretor-geral de empresa militar russa

O sistema de defesa antiaérea S-300 pode ser comparado somente com o sistema norte-americano Patriot, afirmou em entrevista ao observador militar Vitor Baranets do jornal Komsomolskaya Pravda, o ex-diretor-geral do principal escritório de projetos do consórcio Almaz-Antey, Igor Ashurbeyli.

“Quanto estávamos elaborando o S-400, os norte-americanos se esforçaram, roubaram uma coisa ou outra e terminaram o trabalho”, Baranets citou o interlocutor da entrevista ainda não publicada em um show do canal Zvezda.

De acordo com Ashurbeyli, os sistemas russos S-400 e S-500 já não têm concorrência no mundo.

O ex-diretor-geral do consórcio apontou também que os sistemas S-300 na Síria são capazes de proteger de 150 a 250 km do espaço aéreo dependendo do tipo de míssil empregado. Ele acrescentou que, se os S-300 tivessem sido entregues à Síria em 2013, os caças F-16 da Força Aérea israelense não teriam conseguindo “se aproximar assim” e efetuar o ataque que resultou na derrubada do avião russo Il-20. A decisão sobre a entrega dos S-300 para a Síria foi tomada após 17 de setembro, quando um míssil de um sistema de defesa antiaérea S-200 sírio, durante a resposta a um ataque conduzido pela aviação israelense, abateu por engano um avião russo Il-20, com 15 militares a bordo, que estava voltando para a base de Hmeymim.

Moscou responsabilizou Israel pelo incidente, argumentando que os caças israelenses puseram o Il-20 debaixo de fogo, usando-o como escudo.

FONTE: Sputnik