Saab sugere atualizar caças Gripens sul-africanos com o pacote MS 20

O grupo aeroespacial e de defesa sueco Saab propôs à Força Aérea da África do Sul (SAAF) que adotasse a última atualização incremental desenvolvida para o caça JAS39C e JAS39D Gripen. A atualização é designada MS 20.

“O Gripen foi desenvolvido com o conceito de upgrades contínuos – pequenas atualizações a cada segundo ou terceiro ano”, explicou o executivo de marketing sênior da Saab para Oriente Médio e África, Mats Lundberg, durante a exposição Africa Aerospace and Defense 2018. “Esta foi uma exigência da Força Aérea Sueca. Eles querem estar à frente das ameaças e ter a mais recente tecnologia. Acreditamos que podemos fazer isso melhor através de pequenos upgrades contínuos”.

A atualização do MS 20 já havia sido implementada pelas Forças Aéreas Sueca, Checa e Húngara. “Estamos propondo que os demais operadores do Gripen [da África do Sul e da Tailândia] também adotem o mesmo padrão”, afirmou. “É mais fácil para nós apoiar o Gripen se todos forem do mesmo padrão – somos apenas uma empresa relativamente pequena!”

Os Gripens da SAAF estavam atualmente em um “padrão muito bom”, relatou ele. A aeronave havia sido operada na África do Sul por dez anos e já havia passado por várias atualizações. Mas o MS 20, que era um pacote de software, permitiria que a aeronave integrasse novos sistemas e capacidades.

Por exemplo, permitiria que a aeronave operasse os mísseis ar-ar além do alcance visual (BVRAAMs) – e a Denel Dynamics estava desenvolvendo o Marlin BVRAAM. O MS 20 também aumentaria o desempenho do radar do Gripen e permitiria a instalação de um sistema automatizado de prevenção de colisão no solo. A Força Aérea Sueca estava usando o MS 20 para melhorar o desempenho de reconhecimento de seus Gripens.

“Um cliente não precisa adotar toda a gama de recursos oferecidos no MS 20, apenas aqueles que eles precisam”, assegurou Lundberg. “O MS 20 também aborda questões de obsolescência e faz parte do gerenciamento de obsolescência, quando se trata de software. Ele agiliza as coisas.”

 Caça Gripen D da SAAF.

O pacote MS 20 pode ser personalizado para atender às necessidades específicas de cada operador. No caso da África do Sul, a Saab faria um estudo de desenvolvimento em conjunto com a SAAF e a indústria sul-africana. Em seguida, um MS 20 personalizado pela SAAF seria desenvolvido na África do Sul e integrado à aeronave.

“Isso seria então verificado usando a capacidade de teste já estabelecida na África do Sul – o Gripen Fighter Test Center na faixa de testes da Denel em Overberg”, ressaltou. “Seria um programa de dois a três anos, feito na África do Sul, envolvendo sul-africanos. Não seria apenas um caso de ‘baixar’ um sistema desenvolvido na Suécia.”

“Entendemos que o financiamento é curto na África do Sul e que o Gripen provavelmente não é uma prioridade no momento, mas estamos buscando um bom modelo financeiro, em colaboração com o governo sueco e a agência sueca de defesa”, afirmou. “Reconhecemos que isso levará tempo. Mas envolver-se no MS 20 beneficiará a África do Sul, inclusive a indústria local. Também ajudará no desenvolvimento de sistemas de armas na África do Sul – com MS 20, seria possível testar novas armas locais com o Gripen”.

Fonte: Engineering News / Cavok