Primeira missão do porta-aviões Liaoning em 2018 provoca especulações

BEIJING — Uma frota da Marinha Chinesa (PLA Navy) liderada pelo porta-aviões Liaoning partiu para o seu primeiro treinamento no ano de 2018 sem divulgar antecipadamente qualquer informação oficial.

A informação de treinamento da frota foi, em vez disso, divulgada por Taiwan, que revelou na tarde de 4 de janeiro que o porta-aviões Liaoning e vários navios de guerra partiram de seu porto base e passaram pela ilha de Zhoushan para realizar uma viagem de longo alcance de treinamento entre mares.

Também confirmou no dia seguinte que a frota, composta pelo porta-aviões Liaoning e dois destróieres de mísseis guiados Type 052C Zhengzhou (151) e Jinan (105) pertencentes à Frota do Mar da China Oriental da PLA Navy, passou na parte oeste do Estreito de Taiwan.

Não há confirmação dos militares da China continental em relação às declarações divulgadas pela mídia e militares de Taiwan. A única certeza é que, no dia 4 de janeiro, a conta oficial do WeChat da PLA Navy lançou um artigo dizendo que um jato de combate J-15 iniciou seu treinamento no porta-aviões Liaoning às 10h50 na manhã do dia 3 de janeiro de 2018.

O especialista militar chinês Li Jie disse em uma entrevista em 7 de janeiro que a razão pela qual os militares chineses não fizeram um anúncio de alto perfil é que esse tipo de treinamento foi normalizado.

http://www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2017/03/Taiwan.jpg

A frota de aeronaves do Liaoning completou três treinamentos em alto mar no final de 2013 e 2016, e em meados de 2017. Navegar pelo Estreito de Taiwan é familiar e fácil para a frota. A maior diferença entre diferentes estágios do treinamento entre mares do porta-aviões Liaoning são os diferentes objetivos.

Li Jie acredita que, para diferentes objetivos de combate, os tipos de treinamento do porta-aviões Liaoning devem variar. Por exemplo, algumas viagens de treinamento se concentram em operações de ataque terrestre e marítimo enquanto outras se concentram na defesa aérea.

Li também acredita que a frota de porta-aviões desta vez usará o Estreito de Miyako e o Canal de Bashi para “dar uma volta” em Taiwan novamente em sua viagem de regresso.

A mídia de Taiwan citou fontes militares locais dizendo que o porta-aviões Liaoning da China continental transporta aeronaves e pessoal de treinamento do segundo porta-aviões da China. Li Jie acredita que é possível.

http://www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2018/01/Liaoning-15.jpg

O porta-aviões Liaoning deve treinar a tripulação do segundo porta-aviões chinês que em breve fará provas de mar

O Liaoning é um navio de pesquisa e treinamento e, portanto, pode haver algum pessoal a bordo para aprender com sua tripulação em preparação para a operação do novo porta-aviões atualmente em construção.

As recentes fotos da Internet mostram que um grande número de andaimes no porta-aviões da China foi removido. Li Jie acredita que as provas de mar do novo porta-aviões terão lugar antes e depois do Festival da Primavera em 2018.

Recentemente, a Comissão Militar Central da China (CMC) realizou, pela primeira vez, uma grande cerimônia anual de lançamento de treinamento militar. Contra este pano de fundo, o treinamento da frota de aeronaves do Liaoning deve ser “realizado em condições de combate reais”.

Com base nisso, Li Jie acredita que é possível que o porta-aviões Liaoning comece o treinamento de decolagem e pouso noturno nas águas do Mar da China Meridional.

É impossível que as aeronaves baseadas em porta-aviões atendam ao requisito de “combater e vencer” sem aperfeiçoar decolagens e pousos noturnos. As aeronaves embarcadas devem eventualmente completar as missões de combate sob condições climáticas complexas durante a noite. O espaço marítimo e aéreo relativamente aberto do Mar da China Meridional é mais propício para alcançar esse objetivo.

O Mar da China Meridional não possui tal limitação no espaço aéreo como o do Mar Amarelo e do Mar de Bohai. O porta-aviões Liaoning pode atingir a velocidade ideal na vasta área marítima do Mar da China Meridional para proporcionar melhores condições de pouso noturno para aeronaves a bordo.

Alguns analistas acreditam que o porta-aviões Liaoning pode ter atingido a velocidade máxima de 30 nós ao navegar pelo Estreito de Taiwan e que a alta velocidade sustentada é um dos principais desempenhos testados. O vento no convés de voo de alta velocidade é crucial para pousos e decolagens de aeronaves baseadas em porta-aviões.

Li acredita que a velocidade não precisa ser de 30 nós e argumenta que 25 nós são suficientes. Ele disse que as condições do mar no Estreito de Taiwan são bastante complicadas e, por razões de segurança, é improvável que a frota liderada pelo Liaoning proceda a 30 nós quando navega pelo Estreito de Taiwan.

Outro analista profissional disse que, com base no momento da entrada e saída da frota do Estreito de Taiwan dado pelo departamento relativo de Taiwan, a frota não estava navegando em alta velocidade.

O analista destacou que a navegação de alta velocidade de uma frota naval em larga escala também é uma forma de treinamento militar. Na navegação de alta velocidade, especialmente em condições complexas do mar, os requisitos para o sistema de energia e outros aspectos relativos são os mais altos, portanto, uma frota de porta-aviões pode viajar a uma velocidade de 30 nós de vez em quando, mas definitivamente não estará nessa velocidade a viagem inteira, acrescentou o analista.

http://www.naval.com.br/blog/wp-content/uploads/2017/07/liaoning-11.jpg

Caças J-15 a bordo do Liaoning

FONTE: China Military Online