Chefe interino da RPD: serviços ocidentais participaram do homicídio do líder da república

O assassinato do chefe da República Popular de Donetsk (RPD), Aleksandr Zakharchenko, foi cometido com a ajuda de serviços de inteligência ocidentais, comunicou a jornalistas o chefe interino da RPD, Denis Pushilin.

“O atentado contou com a participação do 5º Departamento de Contrainteligência do Serviço de Segurança da Ucrânia [SBU, sigla em ucraniano]. Em resultado dos trabalhos posteriores dos serviços secretos [da RPD] e da análise dos restos do artefato explosivo, foram descobertas tecnologias de ponta que nunca foram utilizadas antes pelo SBU”, afirmou neste domingo (15) Pushilin em entrevista aos jornalistas.

“Isso dá a entender que este atentado foi cometido com assistência de serviços de inteligência ocidentais”, acrescentou Pushilin.

Ele acrescentou que a Rússia está prestando apoio na investigação do assassinato de Zakharchenko.O chefe da RPD foi morto no dia 31 se agosto em um atentado à bomba em um restaurante no centro da cidade de Donetsk. As autoridades da RPD qualificaram o assassinato de Zakharchenko como um atentado.

Foram detidas várias pessoas suspeitas que comprovaram que se tratou de uma operação de sabotagem por parte de Kiev. Entretanto, o Serviço de Segurança da Ucrânia negou as acusações de estar envolvido no crime.

Em abril de 2014, as autoridades ucranianas começaram uma operação militar contra as repúblicas autoproclamadas de Lugansk e Donetsk, que tinham declarado sua independência após o golpe de Estado na Ucrânia em fevereiro de 2014. Segundo os dados mais recentes da ONU, o conflito já deixou mais de 10 mil vítimas.

FONTE: Sputnik