Alemanha quer seus novos caças antes do previsto

As forças armadas alemãs pediram a licitantes em uma competição de alto risco para substituir seus antigos jatos de combate Tornado por uma aceleração nas entregas dos novos aviões de guerra antes de uma data prevista anteriormente de 2025, disseram fontes familiarizadas com o assunto.

O Ministério da Defesa fez a pergunta no início de agosto, em seqüência ao pedido inicial de informações da Airbus, da Lockheed Martin e da Boeing, de acordo com as fontes.

O ministério não comentou a última reviravolta em uma proposta que pode valer bilhões de euros. Uma das fontes disse que o pedido sinalizou preocupações sobre o crescente custo de manutenção da atual frota de 85 jatos Tornado operacionais.

A ministra da Defesa, Ursula von der Leyen, disse que prefere uma solução européia – o Eurofighter Typhoon, fabricado pela Airbus, pela britânica BAE Systems e pela italiana Leonardo SpA, mas a Lockheed e a Boeing ainda esperam por uma chance de concorrer.

A Airbus e o governo dos EUA apresentaram dados no trimestre passado sobre os quatro modelos de jatos de caça em questão – o Eurofighter, o F-35 da Lockheed e os F/A-18E/F ou F-15E da Boeing.

A Alemanha está estudando uma série de opções, incluindo a compra de um tipo de jato para substituir os jatos Tornado, uma compra dividida de dois tipos de aeronaves e uma extensão de vida útil dos jatos Tornado, de acordo com várias fontes familiarizadas com o processo.

A Alemanha também pediu informações a Washington sobre a possibilidade de alugar aviões de combate Boeing F-15, disseram duas fontes, embora isso seja visto como um resultado improvável.

Quando os britânicos retirarem de operação todos seus Tornados, o custo operacional dos jatos Tornados alemães deve aumentar.

Von der Leyen disse em julho que espera uma decisão preliminar sobre os próximos passos até o final do ano.

Possível compra dividida?

Uma proposta pede à Alemanha que compre 40-45 jatos Lockheed F-35 para substituir os Tornados que podem transportar bombas nucleares, e cerca de 75 novos Eurofighters para substituir os Tornados restantes e um primeiro lote de Eurofighters entregues entre 2003 e 2008.

A compra dos F-35s permitiria à Alemanha manter uma frota mista de caças, um requisito fundamental em sua estratégia militar, evitando ao mesmo tempo modificações caras e demoradas no processo de certificação do Eurofighter para transportar bombas nucleares.

Embora não seja uma potência nuclear, a Alemanha abriga algumas ogivas nucleares dos EUA sob a política de compartilhamento nuclear da OTAN e opera uma série de aviões de guerra Tornado que podem entregá-los.

Os EUA disseram à Alemanha que poderia levar de 12 a 18 meses para estudar a questão da certificação do Eurofighter.

Executivos da indústria alemã estão pressionando por respostas rápidas, dado que o custo já alto de manter os jatos Tornado voando pode aumentar quando a Grã-Bretanha e a Itália eliminarem suas frotas.

“O custo de peças de reposição e operações continua subindo”, disse um executivo da indústria.

Fonte: Reuters