Primeiro transportador BelugaXL sai do hangar de montagem

A primeira célula estruturalmente completa do novo BelugaXL saiu do seu hangar de montagem em Toulouse, França, este mês. Uma vez operacional, uma frota desses aerotransportadores de próxima geração será usada para transportar as seções completas de aeronaves Airbus entre os locais de produção europeus da empresa e suas linhas finais de montagem na França, Alemanha e Espanha.

O BelugaXL é um dos aviões mais volumosos existentes, e tudo nele fala com esse fato. Com uma fuselagem dianteira superior abaulada e uma área de carga enorme, o BelugaXL é dificilmente reconhecível como uma versão de aeronave desenvolvida do avião Airbus A330-200 a partir do qual é derivado. “Temos o A330 como base”, disse Bertrand George, chefe do programa BelugaXL, “mas muitas mudanças foram projetadas com sucesso, introduzidas na aeronave e testadas. Transformar um produto existente em um super transportador não é uma tarefa simples “.

Espera-se que este BelugaXL inicial esteja voando em meados de 2018. “Toda a equipe está realmente ansiosa para ver seu primeiro voo e, claro, sua pintura sorridente”, disse George, referindo-se ao enorme sorriso que será pintado no “rosto” do transportador, o design vencedor de seis opções apresentadas aos funcionários da Airbus para uma votação no início de 2017.

Teste de terra para o Beluga XL No. 1 antes do primeiro voo

Antes disso, a aeronave sofrerá uma bateria de testes de um mês com a instalação de seus dois motores a jato, garantindo que cada um dos sistemas do BelugaXL funcione conforme o previsto. Ao longo do tempo, disse George: “Vamos realizar testes de bancada em Toulouse e Hamburgo, na Alemanha – testando nossos sistemas em simuladores de voo e em laboratórios”, bem como usando macacos hidráulicos para simular cargas de voo em cópias completas de articulações específicas entre os nova bolha superior e fuselagem inferior da A330.

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/01/Beluga.jpg

Os Belugas transportam as seções completas de aeronaves Airbus entre os locais de produção europeus da empresa e suas linhas finais de montagem na França, Alemanha e Espanha

“Os dados desses testes serão usados ​​para liberar a aeronave para o voo e, mais tarde, para obter a certificação de tipo”, o pronunciamento oficial da segurança e aeronavegabilidade da aeronave, disse George.

Enquanto o primeiro BelugaXL, estruturalmente completo, se move em sua fase de teste, o segundo A330 para ser convertido em um BelugaXL chegou no horário em Toulouse para iniciar seu processo de integração. George observou que com as lições aprendidas com a produção do primeiro transportador, espera-se que o tempo de montagem para o segundo seja aproximadamente dois meses mais curto.

O programa BelugaXL foi lançado em novembro de 2014 para atender aos crescentes requisitos de transporte da Airbus. Com seis metros de comprimento a mais, um metro mais largo e com uma capacidade de transporte de carga útil seis toneladas maior do que a versão transportadora BelugaST que está substituindo, o BelugaXL poderá transportar as duas asas do avião A350 XWB de uma vez, em vez da única asa atualmente acomodada no BelugaST. No total, cinco BelugaXLs estão programados para entrar em serviço para as necessidades de transporte aéreo da Airbus.

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/01/Beluga-XL-2.jpg

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/01/Beluga-XL-3.jpg

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/01/Beluga-XL-4.jpg

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/01/Beluga-XL-5.jpg

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads//2018/01/Beluga_5_aircraft_aerial_view_.jpg

Os cinco atuais BelugaST entraram em serviço em 1995 e foram construídos a partir do Airbus A300-600

FONTE: Poder Aéreo