Parlamento alemão aprova criação de ‘super-agência’ de cibersegurança

O gabinete da chanceler Angela Merkel propôs um novo ramo de segurança cibernética do governo alemão, a ser supervisionado pelos ministérios do Interior e da Defesa, de acordo com o Defense One.

O orçamento operacional da chamada Agência de Inovação em Segurança Cibernética (AIC) terá orçamento anual de cerca de €200 milhões (R$940 milhões) entre 2019-2022. O órgão abrangerá 100 funcionários e terá mandato indeterminado.

O Bundestag — nome do Parlamento Alemão — fará um ajuste fino na proposta do gabinete e, depois que fundos forem disponibilizados, a AIC começará a funcionar no início de 2019.A criação em potencial da AIC foi um compromisso político do gabinete de Merkel como maneira de se previnir quanto a futuros ataques de guerra cibernética.

O Ministério da Defesa assumiu uma postura agressiva ao descrever a nova política cibernética, observando que as ferramentas governamentais, de segurança e de negócios estão muito atrás de ataques on-line sofisticados que podem resultar em danos maiores que apenas desligamentos de rede e falsificações.

“Os processos governamentais existentes relacionados à pesquisa são muito lentos”, afirmou a ministra da Defesa, Ursula von der Leyen, citada pelo Defense One. “Temos que ser pelo menos tão rápidos e tão bem equipados quanto os agressores”, completou.

Ao injetar capital de risco em pesquisas de ponta, a AIC espera fomentar novas defesas cibernéticas e apoiar as forças militares e de segurança, uma metodologia que exigirá, nas palavras de Van der Leyen, “coragem” e “paciência”.

FONTE: Sputnik