Suécia vai comprar sistema Patriot de defesa aérea dos EUA

A Suécia comprará o sistema americano de defesa antimísseis Patriot em um acordo estimado em 10 bilhões de coroas, segundo informações divulgadas no dia 1º de agosto.

A compra é um dos vários movimentos feitos pelo país escandinavo para modernizar suas forças armadas nos últimos anos.

O ministro da Defesa, Peter Hultqvist, disse após uma reunião extraordinária do Comitê de Defesa do país que o governo formalmente assinaria o acordo no dia 2, informou a Rádio Sveriges.

“É um sistema testado que existe na Alemanha e na Holanda, e logo na Polônia”, disse Hultqvist à mídia sueca. No total, outros 15 países compraram o Patriot.

O preço exato não foi divulgado, mas foi estimado em pelo menos 10 bilhões de coroas suecas (1 bilhão de euros, US$ 1,3 bilhão), o que tornaria a maior compra militar da Suécia em cinco anos.

A Suécia anunciou pela primeira vez sua intenção de investir no sistema dos EUA em novembro. Na ocasião, disse em um comunicado que o objetivo da compra era evitar a “degradação” da segurança regional e aumentar a capacidade operacional das forças armadas suecas após vários anos de austeridade.

O acordo também seguiu um acordo assinado por Estocolmo e Washington em 2016 para impulsionar a cooperação militar bilateral. Ministros da Defesa da Suécia, Estados Unidos e Finlândia assinaram outra declaração de intenções no início deste ano, na qual concordaram em aprofundar sua cooperação em defesa.

“Hoje temos um sistema muito antigo, que não é relevante para o tempo em que vivemos”, disse Hultqvist à rádio Sveriges.

Os EUA aprovaram o pedido em fevereiro deste ano e a oferta expiraria em 10 de agosto, deixando o governo sueco pouco mais de uma semana para tomar sua decisão final.

O plano também é apoiado pelos principais partidos de oposição de centro-direita, apesar das divergências sobre como a compra deve ser financiada, com o Partido Liberal e os democratas cristãos pedindo financiamento extra, separado do orçamento principal das forças armadas, para cobrir os custos.

Hultqvist disse no dia 1º que os custos seriam cobertos pelo “plano de financiamento básico” do exército e, portanto, não receberia financiamento extra.

A entrega do sistema deve começar em 2021

FONTE: The Local