USAF envia rascunho de RFP para Aeronave de Ataque Leve

Four A-29 Super Tucanos arrive in Kabul, Afghanistan, March 20, 2017, before the beginning of the 2017 fighting season. The aircraft will bolster the Afghan air force's inventory from eight to 12 A-29s in country. Airmen from Train, Advise, Assist Command-Air, as part of Resolute Support Mission, work in tandem with their Afghan counterparts fostering a working relationship and fortifying confidence in the mission. (U.S. Air Force photo/Senior Airman Jordan Castelan)

A Força Aérea dos EUA enviou um rascunho de pedido de proposta para o avião de ataque leve para a Sierra Nevada/Embraer e a Textron Aviation após a conclusão da segunda fase do Light Attack Experiment.

Este é o primeiro passo no trabalho com a indústria para a liberação final do RFP, que é esperada para dezembro de 2018. Os oficiais de aquisição da USAF indicaram que há itens que ainda precisam ser finalizados antes do lançamento do RFP final, mas é prudente começar o diálogo com a indústria, a fim de ajustar o RFP, conforme apropriado, a fim de cumprir os cronogramas.

“Precisamos desenvolver a capacidade de combater o extremismo violento a um custo menor”, disse a secretária da Força Aérea Heather Wilson. “A Força Aérea de hoje é menor do que a nação precisa, e a Light Attack Aircraft oferece uma opção para aumentar a capacidade da Força Aérea além do que temos agora em nosso estoque ou orçamento.”

Wilson disse que no ano passado a Força Aérea concluiu dois experimentos em vôo e redigiu o pedido de proposta da Light Attack Aircraft.

“Estamos onde estamos hoje porque o Congresso e nossos parceiros do setor entenderam a necessidade de encontrar maneiras de obter recursos para nossos combatentes mais rapidamente”, disse ela.

Os pilotos voaram no Sierra Nevada/Embraer A-29 Super Tucano e no Textron Aviation AT-6B Wolverine neste verão como um experimento de voo ao vivo para coletar informações adicionais sobre as capacidades das aeronaves, bem como a interoperabilidade de país parceiro, antes de uma potencial compra de ataque leve.

“É importante olhar para a aeronave de ataque leve através das lentes dos aliados e parceiros”, disse o chefe da equipe da Força Aérea, General David L. Goldfein. “Uma aeronave de ataque leve interoperável que forneça arquitetura comum e recursos de rede de compartilhamento de inteligência aumentará nossa capacidade coletiva de competir, deter e vencer em todos os domínios.”

AT-6B Wolverine
AT-6B Wolverine

FONTE: Força Aérea dos EUA