HMS Albion termina visita a Tóquio

O navio de assalto anfíbio da Marinha Real Britânica, o HMS Albion, realizou uma visita de cinco dias a Tóquio, no Japão, tornando-se o maior navio do RN a visitar o país em um quarto de século.

O navio de 20.000 toneladas atracou no dia 3 de agosto e recebeu mais de 6.000 membros do público durante um fim de semana aberto à visitação.

Durante a visita, marinheiros, fuzileiros navais e comandos do Exército do HMS Albion também aproveitaram a oportunidade para prestar suas homenagens no cemitério de Yokohama em Hodogaya, Tóquio, o último local de descanso de 1.555 soldados da Commonwealth que morreram em campos de prisioneiros japoneses ou enquanto serviam no país como parte das forças de ocupação depois de 1945.

Entre os mortos, 113 da Marinha Real e 65 marinheiros mercantes, vítimas da luta de 1941-45 pelo controle do Pacífico.

Como fazem em todos os principais portos de escala onde há um cemitério significativo para os mortos de guerra do país – mais recentemente Busan na Coreia – a tripulação do navio da Grã-Bretanha visitou em massa para prestar suas homenagens e colocar uma coroa de flores, assegurando a seus antepassados que os sacrifícios ​​não são esquecidos pela geração de hoje.

O HMS Albion e a tripulação retornaram ao mar na quarta-feira e em breve iniciarão a longa jornada de volta ao Reino Unido, que será um compromisso de quatro meses marcado por exercícios e interações com nações aliadas.

O navio de assalto baseado em Devonport começou a segunda metade de seu desdobramento no Extremo Oriente no final de julho, após um mês de manutenção na base da Sétima Frota dos EUA, ao sul de Tóquio.

A etapa de retorno do desdobramento fará com que o HMS Albion se junte ao Saif Sareea III em Omã em outubro – um dos maiores exercícios da Grã-Bretanha no Oriente Médio neste século.

O HMS Albion iniciou seu primeiro desdobramento em sete anos em fevereiro de 2018 e é um dos três navios da Royal Navy a se posicionar na região da Ásia-Pacífico este ano.

FONTE: navaltoday.com