Chefe do Estado-Maior da Rússia informou aos EUA sobre a situação na Síria

Em uma carta expressou desapontamento pelo fato do lado norte-americano não ter "observado os acordos para tornar público o conteúdo dos contatos apenas com a consulta de ambos os lados".

Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas da Rússia
Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas da Rússia

O Ministério de Defesa da Rússia confirmou a informação de que o Chefe do Estado-Maior Geral, Valery Gerasimov, enviou uma carta ao Presidente do Estado-Maior Conjunto dos EUA, General Joseph Dunford, sobre a situação da Síria em julho.

Mais cedo diversas agências de notícias informaram que Gerasimov tinha informado as autoridades de comando superiores dos EUA através de uma carta sobre a proposta de Moscou em cooperar na restauração Síria.

“Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas da Rússia, General de Exército Valery Gerasimov, respondeu ao pedido de Joseph Dunford após a reunião de Helsinque, em 8 de junho deste ano, informando ao seu colega sobre as medidas que estão sendo assumidas pela Federação Russa juntamente com o governo sírio na intenção de estabilizar a situação na República Árabe Síria “, disse o ministério neste sábado.

Enquanto isso, expressou desapontamento pelo fato do lado americano não ter “observado os acordos para tornar público o conteúdo dos contatos apenas com a consulta de ambos os lados”.

“O canal de comunicação existente entre o Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia e o Estado-Maior Conjunto dos EUA permite evitar incidentes entre nossas forças armadas e encontrar soluções mutuamente aceitáveis ​​levando em conta os interesses de ambos os Estados. Esperamos que o lado americano assuma medidas necessárias para evitar violações de acordos mútuos no futuro “, observou o ministério.

A carta enfatizava a prontidão da Rússia em negociar a questão do retorno em segurança de refugiados do campo de Rukban, localizado na zona de Al-Tanf, controlada pelos Estados Unidos, para suas casas, com as autoridades sírias. De acordo com o Ministério da Defesa, Moscou também propôs negociar questões de desminagem humanitária na Síria, incluindo em Raqqa, lidar com outros problemas humanitários prioritários para retornar à vida pacífica em toda a Síria o mais rápido possível e neutralizar as tentativas de terroristas de recrutar refugiados.

 

FONTE: TASS