Índia planeja comprar sistema antiaéreo dos EUA

Aquisição é para evitar ataques do tipo 11 de setembro contra Nova Delhi

A Índia está em negociações com os EUA para obter um sistema avançado de defesa aérea para defender a Região da Capital Nacional (NCR) de ataques aéreos. O processo de aquisição do Norwegian Advanced Surface to Air Missile System (NASAMS II), estimado em US$ 1 bilhão, foi iniciado.

“Esse sistema ajudará na prevenção de ataques do tipo 11 de setembro (quando terroristas voaram aviões sequestrados para o World Trade Center de Nova York) em Nova Delhi. Está no estágio de aceitação da necessidade (AoN) agora”, disse uma fonte oficial.

Espaço aéreo seguro

A Índia está implantando uma rede de defesa aérea de vários níveis para proteger totalmente seu espaço aéreo contra aeronaves de combate, mísseis e veículos aéreos não tripulados (VANT).

O oficial disse que esse sistema complementaria outros sistemas, como os de mísseis terra-ar (SAM) de médio e longo alcance, em processo de aquisição. A Índia também está em um estágio avançado de negociações com a Rússia para a compra de sistemas de defesa aérea S-400 de longo alcance.

Além dessas importações, a Índia também está desenvolvendo um sistema autóctone de defesa contra mísseis balísticos (BMD).

Espera-se que a fase I da BMD seja implantada em breve.

O NASAMS foi desenvolvido pela Raytheon em parceria com a Kongsberg Defense and Aerospace da Noruega. O site da Raytheon diz que é uma “solução de médio alcance altamente adaptável” para qualquer requisito operacional de defesa aérea e fornece um sistema de defesa avançado e personalizável que pode maximizar a capacidade de identificar, engajar e destruir rapidamente as atuais e em desenvolvimento, incluindo aeronaves inimigas, UAV ou ameaças emergentes de mísseis de cruzeiro”. O NASAMS II é uma versão atualizada do NASAMS e possui novos radares de vigilância móvel em 3D e 12 lançadores de mísseis para uma reação mais rápida.

A Índia está levando adiante a aquisição dos sistemas S-400, apesar das diferentes visões dos EUA sobre as sanções contra a Rússia e a Lei das Nações Contra os Adversários da América.

FONTE: The Hindu