Como as vendas de armas russas ajudam a manter o golfo dividido

Vender mísseis ao Qatar não é apenas bom negócio para os russos; também permite que se intrometam na política conflituosa e fragmentada dos estados do Golfo.

Especialistas militares referem-se ao SAM S-400 (sistema de mísseis superfície-ar) feito pela Rússia, que é incomparável, com um deles chamando-o de “o mais poderoso e letal sistema de mísseis antiaéreos de longo alcance do planeta”.

Designado de SA-21 Growler pela OTAN, esse sistema móvel de armas pode engajar virtualmente qualquer alvo aéreo, desde mísseis balísticos até caças furtivos e veículos aéreos não tripulados, em um alcance de até 400 quilômetros. Ele é simplesmente o melhor e o altamente elogiado sistema americano Patriot nem chega perto.

Portanto, não é de surpreender que os russos estejam encontrando compradores prontos, entre eles a Turquia. Os turcos assinaram um acordo de US$ 2,5 bilhões, para grande desgosto dos EUA. A Turquia é um membro-chave da OTAN e a ideia de se aproximar dos russos tem feito políticos americanos furiosos, tanto que o Senado dos EUA está considerando a possibilidade de encerrar um acordo para vender 100 caças F-35 aos turcos, bem como sanções ameaçadoras.

Um teatro para o Growler

Por sua parte, os turcos não se impressionam com as ameaças dos EUA: “A abordagem ‘vou impor sanções se você comprar’ não afetará a Turquia. A Turquia não aceitará isso”, respondeu o ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu. E ele ignorou as súplicas do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, dizendo bruscamente: “concluímos o processo do S-400. Isso é um acordo feito”.

Na mistura do Oriente Médio para comprar o S-400 estão Egito, Iraque e Síria, onde a guerra civil em curso se revelou um teatro perfeito para mostrar as capacidades e muitas qualidades do Growler. Entre os mais impressionados com o que viram estão os sauditas. Isso é compreensível, dadas as crescentes tensões entre Teerã e Riad, que desafiam umas às outras pela hegemonia regional.

 

FONTE: Middle East Eye