Ucrânia acusa Rússia de desenvolver armas químicas para ‘guerra híbrida’

A Ucrânia declarou que a Rússia intensificou o desenvolvimento de pesquisas com o objetivo de desenvolver "armas químicas e biológicas de destruição massiva".

A declaração foi feita pela presidente da delegação permanente ucraniana na Assembleia Parlamentar da OTAN, Irina Friz, durante a cúpula da aliança em Varsóvia, informou o portal Ucrinform.

Segundo a representante ucraniana, pelos menos nos últimos três anos, a Rússia tem realizado pesquisas dos vírus de febres hemorrágicas, em particular, do vírus ébola e do vírus de Marburg, sob o pretexto de desenvolvimento de vacinas. Na verdade, sublinhou ela, trata-se do relançamento dos estudos soviéticos de combinação do ébola com o vírus da varíola.

Além disso, outros institutos de investigação estariam realizando pesquisas de desenvolvimento de novos agentes de guerra química com características de gases nervosos.

Segundo Irina Friz, essas armas “podem ser usadas pela Rússia no âmbito de guerras híbridas contra alguns países”, não apenas na Ucrânia, mas também nas regiões onde Moscou tem interesses.

Entretanto, a política não apresentou quaisquer provas, referindo-se apenas à análise de contratos públicos e atividades científicas das entidades do Ministério da Defesa russa.

FONTE: Sputnik